Qual é o seu apego?

0
apego

Talvez você nem se tenha dado conta ainda ou não tenha clareza de qual seja o seu apego; ou  decerto até saiba, mas não consiga entregá-lo a Deus. Porém, se hoje Deus lhe pede isso, tenha a certeza de que Ele mesmo lhe dará a graça para que seja capaz de realizar essa entrega.

Quando Deus quer algo de nós, Ele usa de todas as situações possíveis para nos convencer e nos atrair à Sua vontade.

Ao término da primeira semana da quaresma, percebi Deus falando comigo através de uma tragédia que, embora eu não tivesse nada a ver com ela, foi o meio que Deus usou para que eu entendesse aquilo que Ele já estava tentando me falar.

Acordei assustada por volta das três horas da manhã; para ser mais exata eram 02h50. Escutei um barulho de algo caindo e pensei que fosse uma árvore que fica atrás da janela do meu quarto.

Quando minha mãe abriu a janela, após eu ter levantado assustada temendo ser a queda da árvore, descobrimos que o barulho se tratava de um poste caído. Minha mãe falou que tinha escutado uns tiros, ao mesmo tempo que escutava barulho de carros e pessoas gritando na rua, o que a fez pensar se tratar de briga.

Ao escutar uma parte da conversa, minha mãe logo entendeu que alguém havia morrido. Como tudo aconteceu na lateral do prédio, onde também há uma árvore que nos impedia de enxergar, não entendíamos se a morte tinha sido pela batida ou por conta do tiro. Porém, quando percebemos a rua tomada de carros de polícia, nos demos conta de que se tratava de uma perseguição policial.

Com meu coração muito agitado, não consegui mais dormir.  E diante de toda agitação e inquietação, sentia que Deus queria me falar algo através dessa situação que tanto me entristecia… e de fato Ele me falou. E mais do que isso, Ele me permitiu ter o conhecimento dessa tragédia, acordando-me para que eu compreendesse o quê Ele queria me falar neste tempo quaresmal.

Em determinado momento, me coloquei no lugar daquele bandido e comecei a refletir o que seria da minha alma se eu tivesse morrido como ele?  Ou, e se eu tivesse sido atingida por uma bala perdida e morrido também? A conclusão é que eu não levaria e não levarei nada comigo, no dia em que meu percurso aqui, nesta terra de exílio, acabar. Mesmo sabendo disso, me pergunto o porquê, então, eu insisto em permanecer com aquilo que não me pertence…  Por que, me permito ficar presa ao passado e às pessoas que já não fazem mais parte da minha vida? Além dessa reflexão, ao mesmo tempo em que eu rezava por aquela alma, também passei a me perguntar se ele realmente era uma pessoa que estava longe de Deus ou se em algum momento de sua vida, teve a oportunidade de conhecer a Deus, de ter uma experiência com Seu imenso Amor, se houve alguém que ousou falar de Deus e Sua infinita misericórdia.

Enfim, fiquei pensando em muitas coisas, e quando fui rezar com a liturgia do dia, tamanha foi a minha surpresa ao me deparar com o seguinte texto bíblico: É em razão da infidelidade da qual se tornou culpado e dos pecados que tiver cometido que deverá morrer. Quando um justo renunciar à sua justiça para cometer o mal e ele morrer, então é devido ao mal praticado que ele perece. Quando um malvado renuncia ao mal para praticar a justiça e a equidade, ele faz reviver a sua alma. Se ele se corrige e renuncia a todas as suas faltas, certamente viverá e não perecerá”. (Ez 18, 24c.26-28) Uma leitura que falava exatamente de fidelidade e dos riscos que corremos de perder nossa alma para o pecado.

Tudo isso gerou em meu coração um desejo ainda maior de fidelidade a Deus. Fidelidade para consolar o Seu coração e um desejo de amá-lO profundamente em cada uma das coisas que eu faço. Desejo também de me libertar de todo legalismo para alegrar o Seu coração.

Talvez hoje o seu apego seja um sentimento, uma pessoa, uma lembrança, algo material, o dinheiro ou qualquer outra coisa, algo que está somente entre você e Deus; algo que talvez você só assuma diante Dele, hoje, pelo Ciúme de Deus em Sua vida, pelo Amor que Ele tem por você, Deus lhe pede amorosamente esse apego, pois seja qual for, Ele quer reinar aí no lugar que cabe a Ele, não lhe dividindo com algo que rouba o seu olhar do olhar Dele.

Você não precisa morrer somente para si mesmo, também para os seus apegos e o passo de desapego, com certeza, alegrará muito o coração de Deus!

Tenha coragem de se desapegar, de deixar para trás aquilo que não lhe pertence e se não for tanto por você que seja por amor a Cristo! Aproveite esse tempo de quaresma que é propício para isso, tempo de sofrer com Cristo para ressuscitar com Ele!

Deise Castro
Discípula da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.