Quanto mais te busco, mais te quero

0
quero

“Voltando-se Jesus e vendo que o seguiam, perguntou-lhes: “Que procurais?”. Disseram-lhe: “Rabi (que quer dizer Mestre), onde moras?”.– “Vinde e vede” – respondeu-lhes ele. Foram aonde ele morava e ficaram com ele aquele dia”. (Jo 1, 38 – 39)

Assim como aconteceu com os discípulos no contexto da passagem do Evangelho mencionada acima, o Senhor também prepara momentos a fim de que “por um acaso” nos encontremos com Ele nos caminhos de nossas vidas. Podemos pensar que somos nós que “vemos” o Senhor, mas é Ele que nos encontra em algum instante há muito tempo sonhado e planejado por Deus. É, então, que Jesus, misterioso e “intrigante“ nos dá a experimentar do Seu amor e nos conquista. Diante disso, poucos resistem a seguir a esse Cristo que nos seduz e, olhando em nossos olhos, nos convida: “Vinde e Vede”. O nosso “quero seguir-Te” como resposta é o primeiro passo rumo à intimidade com Deus.

Onde moras? (Jo 1, 38)

Marcados pelo amor desse Deus, isso é tudo que ressoa em nossos corações: “Onde moras?” Tudo o que queremos é estar em Sua presença e aí permanecer. O amor de Deus é tão fascinante que nos cativa e nos arrasta a Ele.

É o Espírito Santo que nos conduz ao coração de Deus e nos guia pelas vias capazes de nos levar a uma vida de intimidade com o Senhor. O centro de tudo é a Eucaristia, o próprio coração de Jesus Cristo. E é na vida de oração que nos encontramos com o amado, que saciamos nossa alma com o Seu Amor. Quanto mais buscamos a Deus, quanto mais O temos, mais O queremos, mais O desejamos.

Dai-me sede, Senhor!

E para que a chama desse desejo de Deus jamais se extinga em nossos corações, clamemos: “Dai-me sede, Senhor!”

Dai-nos uma sede torturante da Tua presença quando as tribulações e os pecados nos afastarem de Ti para que tenhamos um desejo irresistível de nos encontrarmos e nos reconciliarmos Contigo. Queremos desejar o fogo do Teu Amor quando nossos corações estiverem frios e insensíveis por conta da tristeza e dos apelos do mundo. Dai-nos uma saudade profunda de Ti para que quando nossos pensamentos nos levarem para longe de Ti, a nossa alma e o nosso coração te desejem de volta.

Te quero e te busco!

Somente priorizando a vida de oração, nosso momento essencial de intimidade com Deus, e voltando a Ele quantas vezes forem necessárias, manteremos a força do querer a Deus viva em nós. Caso contrário, estaremos sem vida e sem fé, vazios como um abismo, mas incapazes de reconhecer a sede e o desejo por Deus que existe no mais profundo de nossa alma.

É o nosso desejo de Deus, colocado por Ele mesmo em nós, que nos impulsiona à intimidade com Ele para que possamos experimentar o Seu grande desejo de que o abismo de nossas almas seja saciado pelo Amor Perfeito e Imensurável do Senhor, que nos deseja e nos ama até o ciúme. E que, assim, sejamos filhas e filhos de Deus verdadeiramente felizes, realizados e plenos, independente das circunstâncias em que estivermos.

Que o Bom Deus nos abençoe!

Adriane Luz
Consagrada da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.