Rasgue o seu coração para Deus

4

“O que o homem vê não é o que importa: o homem vê a face, mas o Senhor olha o coração” (1Sm 16,7).

A verdade de que Deus vê nosso coração é uma grande prova do quanto Ele nos ama de maneira incondicional. Ele sabe tudo o que se passa em nosso interior e insiste em nos amar. Nada é capaz de mudar o amor que Deus tem por nós. Contudo, a manifestação desse amor pode ser maior ou menor na medida que somos capazes de abrir o coração para que Ele nos ame. Isso significa dizer que quanto mais nos abrirmos para o amor de Deus, maior será Sua ação em nossas vidas, pois Deus respeita nossa liberdade e espera sempre o nosso sim para agir em nós.

No Evangelho segundo Lucas, Jesus nos conta sobre dois homens que subiram ao templo para orar. O fariseu, que se vangloriou por suas boas obras e por não ser como os pecadores, voltou para a casa sem ser justificado. Por outro lado, o publicano, que não ousava levantar os olhos ao céu e que batia no peito, dizendo “ó Deus, tem piedade de mim, que sou pecador!”, foi justificado, agradou a Deus, pois, como nos afirma o próprio Cristo: “todo o que se exaltar será humilhado, e quem se humilhar será exaltado” (cf. Lc 18,9-14).

Humilhar-se diante de Deus é rasgar o coração diante d’Ele, expor a verdade mais profunda que existe em nosso interior, na confiança de que Ele nos acolhe da maneira como nos apresentamos, porque é Pai e nos ama. Deus deseja nossa sinceridade, tem sede de nossa verdade.

Coração sincero

A sinceridade é como que uma porta escancarada para que o Senhor entre e encontre espaço em nossa liberdade para fazer Sua vontade, que é sempre perfeita.

Rasgar o coração para Deus requer coragem, porque somos, sim, falhos, pecadores, com muitas imperfeições e isso é muito humilhante para nós, pois nossa grande tendência é querer estar muito bem, perfeitos, imaculados para recebermos o Senhor que deseja fazer morada em nós. Muito mais que nossa perfeição, Deus espera nossa sinceridade; Ele espera que assumamos nossa pequenez, nossa incapacidade para fazermos o bem que desejamos e muitas vezes não conseguimos alcançar (cf. Rm 7,19-21).

“Rasgai vossos corações e não vossas vestes; voltai ao Senhor vosso Deus, porque ele é bom e compassivo, longânime e indulgente, pronto a arrepender-se do castigo que inflige” (Jl 2,13).

O publicano citado em Lucas 18, como lemos, teve coragem de rasgar o coração, porque confiou na misericórdia de Deus, tantas vezes citada nas Sagradas Escrituras. Ele confiou que essa misericórdia não só existia como era real em sua própria vida.

Muitos de nós temos consciência de que Deus é misericordioso, mas duvidamos, ainda que veladamente, que essa misericórdia seja também para nós. Nosso medo de rasgar o coração e expor nossa verdade para o Senhor é sinal do quanto ainda desconfiamos do amor que Ele tem por nós. Como Adão e Eva (cf. Gn 3,8), queremos nos esconder de Deus, quando escondemos quem somos e o que temos guardado dentro de nós.

O grande convite de Deus para nós é que confiemos em Seu amor, que supera nossas fragilidades e erros; e que abramos todo nosso ser para a ação de Sua misericórdia.

Tenhamos, então, coragem de nos apresentar ao Sagrado Coração de Jesus como estamos e deixar que o fogo ardente de Seu amor nos envolva e consuma, pois somente assim agradaremos a Deus e permitiremos que Sua vontade se cumpra em nós.

Sagrado Coração de Jesus, nós temos confiança em Vós!

Edvandro Pinto
Discípulo da Comunidade Católica Pantokrator 

4 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.