São José, modelo para os Homens

6

José é uma figura muito conhecida, afinal, é o pai adotivo de Jesus e esposo da Virgem Maria. Papéis tão importantes exigem alguém digno deles, alguém à altura.

Logo no início de seu evangelho, São Mateus traz a genealogia de Jesus e em seguida diz “A origem de Jesus Cristo foi assim: Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José, e, antes de viverem juntos, ela ficou grávida pela ação do Espírito Santo. José, seu marido, era justo e, não querendo denunciá-la, resolveu abandonar Maria em segredo.” (Mateus 1, 18-19). A narrativa apresenta José como um homem justo, mas, o que seria um homem justo?

São-JoséJosé: homem Justo

“Justo” em hebraico é designado por “tsadiq”. “No pensamento hebraico, o tsadiq é aquele que reconhece o fundamento absoluto da Lei e seu valor moral. O homem religioso, que tem uma relação pessoal e absoluta com Deus na ordem do amor, é chamado “hassid”, fervoroso fiel por sua generosidade. Mas, quando educa, cria o povo pela abrangência de sua presença, pela integridade de sua caminhada, esse homem passa a ser um tsadiq, um fiel com disposição e potência de realizar e esclarecer o povo sobre a justiça e a fidelidade do amor de Deus” [1].

Ao ler o trecho acima, percebe-se que um homem justo na cultura judaica é um homem que é exemplo para os outros. Aquele que educa com a sua vida, com seu testemunho. Pode-se imaginar que José tinha uma excelente reputação diante daquela sociedade.

Diante do mistério da Encarnação do Verbo, de Maria grávida (que era uma situação difícil de se entender), José prefere abandoná-la ao invés de denunciá-la. José não está fugindo, mas, na verdade, está assumindo toda a culpa! Ele assume uma culpa que não é dele, colocando em jogo a sua reputação de homem justo. Com isso, ele mostra toda a nobreza de seu coração.

Homens, fomos criados para gastar a nossa vida

 No trecho seguinte o anjo aparece em sonho a José e diz para ele não ter medo de receber Maria como sua esposa (versículos 20 e 21) e quando acorda, José faz “conforme o anjo do Senhor havia mandado” (Mt 1, 24a). José despojou-se de sua vida para viver a vida que Deus sonhou para Ele. Ele encontra na vontade de Deus a causa pela qual deve gastar a sua vida, algo transcendente, que é maior do que ele.

Nós, homens, fomos criados para isso, para gastar a nossa vida, para lutar por uma causa que é maior do que nós mesmos, para proteger aqueles que Deus nos confiou, para prover não só o alimento material para nossa família, mas também o alimento espiritual. José viveu isso no ordinário de sua vida ao cuidar de Maria, sua esposa, e de seu filho Jesus. Ao ensinar sua profissão ao menino, transmitindo os valores de Deus (eles tinham vida ativa, iam ao templo, cumpriam os preceitos. “O menino crescia em sabedoria, estatura e graça diante de Deus e dos homens”, Lc 2, 52). Era um pai presente.

O que se vê hoje são homens que não querem assumir responsabilidades, que abandonam seus filhos com as mães ou até mesmo dentro da sua própria casa, não dando o amor, a atenção, a presença da qual eles precisam. Homens que perderam o sentido de lutar e se doar, que cultuam o deus sofá, o deus futebol, que se auto cultuam e não querem gastar tempo com seus filhos, com sua esposa, com os outros ao seu redor. Não quer gastar tempo com Deus. Homens que não querem ser homens.

Infelizmente todos nós temos um pouco dessa falta de responsabilidade, dessa passividade, dessa busca pelo conforto. Devemos lutar para gerar em nós a verdadeira masculinidade, buscar a nossa essência de ser homem.

Homem, você foi criado para o céu! A sua felicidade está em Deus. Essa é a luta da sua vida: chegar ao céu e levar a sua família junto com você. Formar os que estão ao seu redor com o seu exemplo de vida. Não aceite uma medida mais baixa do que essa. O mundo precisa de você como homem de verdade.

Que São José interceda por nós e nos ajude a sermos cada vez mais homens segundo o coração de Deus.

Felipe Augusto Rosa

Postulante na Comunidade Católica Pantokrator

[1] José: Referencial para o homem de hoje. Cassiano R. Azevedo. Edições Shalom

6 COMENTÁRIOS

  1. Felipe, quanta sabedoria em suas palavras, e isso só faz aumentar ainda mais minha já enorme admiração por vc e seus pais e toda a família. Pois se a boca fala do que o coração está cheio, isso só confirma que vc traz consigo as qualidades de São José. Parabéns, q o Espírito Santo de Deus o conserve assim.E dessa forma certamente, como já é um filho, um neto, um sobrinho e um primo exemplar, será um esposo e pai de família exemplar tb. Um abraço! E muito amor e perseverança pra vc!

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.