Ser jovem é ser inquieto

0

Conhece aquela pessoa inquieta, que está sempre em busca de algo novo, que não consegue fazer uma coisa só de cada vez, que quer abraçar o planeta, mas que também quer ser abraçada por ele? Aquela pessoa que num mesmo dia pode sentir vinte sentimentos diferentes, que pode ter mais ideias geniais do que um cientista renomado e que é intenso (ou ao menos almeja ser) em tudo o que faz? Conhece? Você se enxergou ao menos um pouco? Então, você é um jovem, e está no lugar certo. Mesmo que seu temperamento seja mais extrovertido ou introvertido, todo jovem é jovem e todos sabem exatamente do que estou dizendo. Não importam as dificuldades ou traumas que se tenha, até mesmo aquele jovem que se encontra na mais profunda depressão; todos eles têm impresso em si a marca da inquietude. E, acredite ou não, essa marca é uma das maiores belezas que a juventude tem diante do Senhor.

Acredito que todo mundo já ouviu alguma pessoa mais adulta, bem mais velha ou nem tanto, fazer alguma coisa mais radical ou diferente e, no final da experiência, dizer: “nossa, me sinto tão jovem fazendo isso”. A juventude naturalmente remete às pessoas a sede de vida. E essa é a marca da inquietude. A inquietude se expressa nessa necessidade de ser, de descobrir, de lutar, de transformar, de fazer de tudo um pouco e de um pouco tudo, de se perder totalmente nas suas loucuras e ainda assim insistir nelas. A inquietude nos faz até mesmo sonhar muito alto, em ter um emprego que ama, a faculdade que sempre quis, uma família unida, ou até mesmo viajar o mundo todo tendo apenas 10 reais no bolso. Tudo isso é saudável, afinal, faz parte da nossa identidade. Mas a beleza da juventude consiste não somente em sonhar muito, mas sim em fazer acontecer. O jovem é aquele que ainda acredita na mudança.

Ele é um ser que tem coragem, mesmo que ela ainda esteja escondida no fundo de sua alma e precise ser descoberta. Às vezes, o jovem também se frustra por sentir que não consegue alcançar tudo o que planejou em sua cabeça. Todavia, é sempre importante lembrar de que mesmo diante de alguma porta que lhe seja fechada, fechar-se em si nunca ajudará de modo algum, afinal, o jovem é um ser carregado, cheio, energizado, e energia foi feita para transbordar e dissipar. Em todas as situações da vida, aquele que não estiver de acordo com sua essência não poderá ser feliz. E transbordar é a essência da juventude.

Por isso e muito mais, a inquietude não pode ser reprimida! Ela é o nosso combustível, que pede de nós necessário um certo cuidado, pois precisa ser canalizada para o lugar certo. Hoje em dia vemos muita energia sendo gastada em vão pelos jovens do mundo. É por conta disso que o papel do jovem como Igreja é fundamental! Não se precisa na Igreja de jovens múmias, que apenas frequentam silenciosamente e se escondem de tudo. A Igreja precisa de jovens que são jovens! Aqueles que impulsionarão a Igreja, levarão Cristo para todos os cantos escuros, buscarão conhecer mais de Deus e nunca guardarão suas experiências pra si. Os jovens são o futuro da Igreja. Quanto mais assumirmos o papel de jovens inquietos enquanto formos Igreja, mais a Cristo será conhecido nesse meio tão distorcido.

“Jovens, não tenhais medo de ser santos”

Foi nisso que São João Paulo II tanto insistiu em seu pontificado. A juventude é uma fase muito importante em nossa vida. Costuma ser ela a definir tudo o que virá depois. É o momento em que fazemos nossas maiores escolhas. Às vezes, o futuro se embaralha porque os jovens não tiveram responsabilidade com aquilo que plantaram mais cedo. Precisamos estar sempre atentos com isso. Para cada decisão, existe uma estrada. Para cada estrada, um destino final. Uma vez escolhida a estrada, seu caminho será trilhado de acordo com isso. Por isso a juventude é o melhor momento para começar a se comprometer com a sua santidade e vida celeste. É o momento da sua maior escolha. É o momento de transferir sua inquietação para o que realmente saciará o seu coração.

Então, jovens, eu digo a vocês: em vez de nos preocuparmos tanto em construir nosso amanhã, com nossa faculdade, emprego, futuro, sonhos, que possamos ter como primeira preocupação da juventude a preparação para a vida celeste. Que sua inquietação seja transferida totalmente para as coisas do alto antes das coisas terrenas. Afinal, para um jovem cristão, o Céu é o principal, e todo o resto deverá ser secundário.

“Ninguém te despreze por seres jovem. Ao contrário, torna-te mode­lo para os fiéis, no modo de falar e de viver, na caridade, na fé, na castidade.”  (1 Tm 4:12).

Giovana Cardoso
Postulante da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.