Sua vida é reflexo da sua vida de oração

2

São João Maria Vianney nos ensina que a mais bela profissão do homem é rezar e amar. Ele nos fala que a oração é nossa união com Deus e quando alguém tem o coração puro e unido ao Pai, sente em si mesmo uma vida de doçura que inebria e uma luz maravilhosa que o envolve. Nessa íntima união, Deus e a alma são como dois pedaços de cera, fundidos em um só, de tal modo que ninguém mais pode separar. É uma felicidade impossível de se compreender.

O amor é uma ação que expressamos servindo o nosso próximo e não é possível amar com o amor de Deus, se não estivermos em comunhão com Ele. Para conhecer a Deus e seu amor por nós, precisamos ter uma vida de oração e intimidade com Ele. Para sair do nosso egoísmo e preguiça, murmuração e falta de amor, precisamos aderir ao Pai e a Seu plano de amor para cada um de nós.

A oração é para o espírito, como o alimento para o corpo. Não é possível nutrir nosso espírito, sem a oração. Temos também os sacramentos, sinais visíveis da graça invisível, para nos ajudar na vida de oração. A sagrada comunhão e a confissão são para os batizados, meios de acesso à intimidade de Deus. Para orar usamos o corpo, a mente e o espírito, portanto a oração que fizermos, terá reflexo em todo nosso ser. Nesse momento devemos estar totalmente presentes, com toda nossa atenção na intenção de encontrar com Deus; a concentração é primordial.

Quando oramos, nos unimos a Deus intimamente, Ele que é Santo e Sábio, nos possibilita acessar a santidade e sabedoria para dela beber e assim também como filhos de um Deus misericordioso, crescermos nessas e outras virtudes e vencer as dificuldades da natureza humana. Em muitas passagens bíblicas Jesus retira-se para orar, como por exemplo, em Marcos, 1, 35: “De madrugada, quando ainda estava escuro, Jesus se levantou e foi rezar num lugar deserto. Simão e seus companheiros foram à procura de Jesus. Quando o encontraram disseram: “Todos estão te procurando”. Jesus respondeu: “Vamos a outros lugares, às aldeias da redondeza! Devo pregar também ali, pois foi para isso que eu vim”.

Mesmo os discípulos dizendo a Jesus que todos estavam O procurando, Ele, após a oração, sabia muito bem qual o sentido da sua vida, da sua missão, para que tinha vindo a Terra, não parou para voltar e ver o que queria os que estavam procurando por Ele. Ele veio fazer a vontade do Pai e nos ensinar a fazê-la também. Deus, Pai de amor e de misericórdia deseja nos encontrar, conversar conosco, ser o amor de nossa vida, assim como somos da vida Dele. Ele nos espera ansiosamente para esse encontro todos os dias. Nesse momento Ele deseja nos ouvir, nos ensinar e falar conosco.

A partir da oração podemos ouvir o que o Senhor deseja nos dizer, não com os ouvidos, mas com o coração dentro de nós. Nossa vida será reflexo da nossa prática de oração à medida que soubermos enfrentar os sofrimentos, inerentes à vida humana, com paz interior e com a certeza de sermos cuidados por um Deus de amor. Fazendo atos de fé ao longo do dia, seja na oração de intimidade, no silêncio ou na oração continuada durante o dia, na agitação e correria da vida.

O relacionamento com o Senhor tem poder de nos fazer florescer onde Deus nos plantou, como diria Santa Teresinha. Ao ouvirmos o Senhor e sermos por Ele conduzidos encontraremos e poderemos contemplar o bom, belo e verdadeiro. Nossa vida encontra-se com o caminho, verdade e vida que é Nosso Senhor Jesus Cristo.

Thaís Casarini
Postulante da Comunidade Católica Pantokrator 

2 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.