Papa ‘exorcizou dois homens no Vaticano’, afirma um novo livro.

0

Em um novo livro, o Padre Amorth, o exorcista para a diocese de Roma, faz um relato bizarro de como ele e duas assistentes levaram dois “possessos” italianos a uma das audiências semanais do Papa na Praça de São Pedro, em maio de 2009.

Em seu livro, “The Last Exorcist – My Fight Against Satan” [“O Último Exorcista – Minha Luta Contra Satanás”], ele afirma que a simples presença do pontífice curou os homens de suas aflições demoníacas.

O padre Amorth disse que suas duas assistentes acompanharam os dois homens na Basílica de São Pedro quando o Papa estava sendo conduzido entre as multidões de fiéis no “Papamóvel” branco.

As mulheres conseguiram assentos para os dois homens na área de assentos normalmente reservada a pessoas com deficiências.

Quando o Papa se aproximou deles, os homens, identificados somente como Marco e Giovanni, começaram a agir estranhamente, escreveu o Padre Amorth.

Ele descreveu como eles tremiam e como os seus dentes rangiam.

Quando uma das assistentes pediu a Giovanni para se controlar, ele disse “Eu não sou Giovanni” em uma voz que não era a sua, afirmou o padre Amorth.

Tão logo o Papa desceu do “Papamóvel”, os dois homens se arrojaram ao chão.

“Eles batiam suas cabeças no solo. Os guardas suíços assistiram, mas não fizeram nada,” escreveu o sacerdote.

“Giovanni e Marco começaram a vociferar ao mesmo tempo, eles estavam deitados no chão, uivando”.

“Eles estavam tremendo, babando e entrando em frenesi”.

“O Papa assistia de longe. Ele levantou um braço e abençoou os quatro. Para os possessos isso funcionou como um solavanco furioso – um soco em seus corpos por inteiro – na medida em que eles foram arremessados a três metros para trás,” continuou.

“Eles pararam de uivar, mas choraram incontrolavelmente.”

O padre Amorth, que afirma ter realizado milhares de exorcismos, escreveu: “Não é mistério algum que os atos e palavras do Papa podem enfurece Satanás… que a simples presença do Papa pode acalmar e de alguma maneira ajudar os possessos em sua luta contra aquele que os possui.”

Federico Lombardi, o porta-voz do Vaticano, refutou o relato, dizendo que Bento não estava ciente das aflições dos homens e não tivera a intenção de realizar um exorcismo.

O padre Amorth é uma figura polêmica, cujos pontos de vista francos já embaraçaram o Vaticano no passado.

Em novembro ele classificou a ioga com “má”, afirmando que ela leva ao culto do hinduísmo e outras religiões orientais baseadas em “uma falsa crença na reencarnação”.

Ele também se pronunciou contra Harry Potter, dizendo que os livros infantis parecem inócuos, porém, de fato, encorajam as crianças a acreditarem em magia negra e bruxaria.

O Demônio “estuda cada um de nós e nossas tendências em direção ao bem e ao mal,” disse o padre Amorth, cujo novo livro tem por subtítulo: “It’s not me who is frightened of the Devil, it is he who is frightened of me” [Não sou eu quem está com medo do Demônio, é ele quem está com medo de mim”].

Fratres in Unum

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.

7 + 3 =