Informativo “O Pantokrator” – Edição 45

0

Outubro: mês do Rosário e da Padroeira do Brasil

Caro leitor;

Neste mês temos a dupla graça de celebrar o Rosário e o mês de nossa padroeira: Nossa Senhora Aparecida.

No dia 7 de outubro tem lugar no calendário litúrgico a festa de Nossa Senhora do Rosário, celebração instituída em recordação da Batalha de Lepanto, confronto ocorrido em 1571, na ocasião em que hordas muçulmanas ameaçavam invadir a Europa, pretendendo inclusive chegar a Roma e destruir a Cristandade. Na época, o Vigário de Cristo era São Pio V, eminentíssimo devoto da Virgem Maria que encomendou as tropas católicas chefiadas pelo rei da Aústria à sua maternal proteção.

Nossa Senhora

Ao meio dia do dia 7 de outubro de 1571, durante a oração do Ângelus, o papa aproximou-se da janela de seu escritório e avisou ao cardeal-secretário que a batalha estava ganha: Nossa Senhora havia livrado as tropas católicas e toda Europa da invasão muçulmana.

O grande remédio para evitar essa invasão foi recomendado aos católicos pelo próprio São Pio V: a reza do Santo Rosário diariamente. Distante a quilômetros da batalha, por graça de Deus o papa soube da vitória no exato momento em que ela se dava, ao que ordenou que os sinos de todas as igrejas da sede da Cristandade tocassem em honra Daquela que é “temível como exército em ordem de batalha”.

FAÇA AQUI O DOWNLOAD DO INFORMATIVO!

No Brasil, em especial os escravos convertidos à fé católica, tomaram Nossa Senhora do Rosário como sua padroeira e em 1717 nossa terra iniciaria sua devoção à Mãe de Jesus sob o título de “Aparecida”. Sua festa litúrgica se dá no dia 12 de outubro, data aproximada da pesca milagrosa que colheu das águas do Rio Paraíba do Sul a pequenina imagem de Nossa Senhora.

A pesca da pequena imagem foi seguida de diversos milagres que já no ano de 1745 estavam relatados em detalhes pelo pároco de Guaratinguetá, vila à qual o vilarejo dos pescadores escolhidos de Nossa Senhora pertencia na época. Daí em diante sua devoção espalhou-se por todo canto e muita gente passou a acorrer aos pés de sua pequena imagem para pedir-lhe toda sorte de favores. Como sinal permanente, a pequena imagem de rosto sorridente e mãos postas continua a nos exortar como no Evangelho de São Lucas: “Fazei tudo o que Ele vos disser” (Lc. 2, 5).

Luiz Raphael Tonon
Consagrado da Comunidade Católica Pantokrator

ABAIXO VOCÊ PODE LER ON LINE O INFORMATIVO O PANTOKRATOR

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.

cinco × 5 =