Voluntários-missionários: carismas a serviço da JMJ!

0

“Sejam missionários!” O pedido do Papa Emérito Bento XVI que se tornou trecho do hino da JMJ Rio2013 é também um convite para os jovens a viverem o lema escolhido para este encontro com oPapa Francisco. Mas esse chamado já é vivido por muitos jovens voluntários que trabalham diariamente no Comitê Organizador Local (COL). Voluntários missionários de Novas Comunidades, Institutos de Vida Consagrada e Ordens Religiosas. Consagrados, freiras, frades e sacerdotes que tem dedicado sua missão a uma rotina diferente de serviço e apostolado da que estavam acostumados e que vai além dos limites do carisma particular que seguem.

Uma dessas voluntárias é a Ir Cátia Cappellari, paulina, que cuida da marca JMJ. Para ela, o serviço na JMJ potencializa a dedicação e o amor a Igreja ao qual ela é chamada a viver como consagrada. “No meu entender todo missionário já é voluntário. Ele se coloca junto com o povo a favor da vida. Ser missionário dentro do contexto da Jornada é potencializar isso; é se colocar em comunhão com outros voluntários, compartilhar carismas, experiência profissional. Se o voluntário vem trabalhar é porque ele já carrega em si o dom de ser missionário e aqui ele pode descobrir como viver isso”, diz.

Outro missionário-voluntário é o frei franciscano conventual Lucas do Nascimento, que decidiu dedicar o seu ano sabático ao serviço da JMJ. Com a simplicidade própria do seu carisma, Frei Lucas tem trabalhado diretamente no contato com os peregrinos pelas redes sociais. “Ser voluntário na Jornada é um novo jeito de servir a Igreja, dá um novo sentido a minha vocação. É um encontro com a Igreja de forma mais ampla, enriquece nossa vivencia de cristão. Eu vou voltar para o meu convento em Brasília com um entendimento mais amplo do que é ser Igreja”, conta o frei que é conhecido no escritório devido a sua risada peculiar.

Cadastre-se grátis e receba todas as novidades do site por e-mail

Lucas Amaral é consagrado da comunidade Shalom. Ele foi um dos primeiros voluntários a chegar no COL para ajudar na preparação dessa, que é sua primeira, JMJ. “Ser impulsionado pelo Espírito Santo é a experiência que estou tendo. Felicidade de estar em Deus, de estar na vontade de Deus, de partir em missão, sair das minhas estruturas e experimentar o tema da JMJ na minha vida”.

Essa é a mesma opinião da consagrada da comunidade Canção Nova Regiane Calixto. “Para mim, é uma experiência desafiadora, mas ao mesmo tempo muito gratificante. Aqui realmente posso viver o lema da Jornada. Eu realmente sinto este envio, este ‘Ide’ e esta missão de fazer discípulos entre todas as nações e, com isso, evangelizar e ser evangelizada”.

JMJ Rio2013

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.

dez − dez =