Como a divisão de tarefas ajuda na harmonia da casa

0

Por mais que tenham mudado as convenções sociais, homens e mulheres sempre vão se comportar de maneiras distintas; isso se deve às características biológicas que cada um possui. Essas diferenças são perceptíveis em várias situações do dia a dia, como por exemplo, na maneira em que cada um realiza as tarefas da casa.

Nesse quesito, as mulheres tendem a centralizar todo trabalho e são resistentes em dividir as tarefas por receio de que as coisas saiam do controle. Já os homens tendem a ser mais práticos e objetivos, fazem o que lhe foi delegado e colaboram pontualmente quando solicitado.

No casamento, essas diferenças ficam mais evidentes e, se não há um consenso, conflitos invariavelmente surgem, tornando difícil a convivência do casal. E, como isso é tão comum na vida dos casais, não faltam pesquisas científicas e psicólogos especializados em relacionamento para atestar que a divisão de responsabilidades domésticas contribui para a felicidade conjugal.

Segundo muitos terapeutas, para o casamento ter harmonia, ele deve ser visto como uma empresa, ou seja, ser divido em setores e contar com planejamento e registros financeiros de toda sua manutenção, o que envolve fatores como limpeza da casa, realização das compras, preparo das refeições e cuidados com as crianças.

Sendo assim, o primeiro passo de um casal deverá ser a criação de uma planilha ou documento que mapeie toda a organização da casa. A etapa seguinte será a definição de prioridades e um consenso a respeito do que é mais importante para cada um.

Na conversa, o casal deverá decidir coisas que mais impactam na rotina, como a definição de quem irá cozinhar e em qual frequência, quem se encarregará da louça, varrerá o chão, passeará com o cão, fará a cama, cuidará das compras, limpará o banheiro etc. Nesse momento, é muito importante também que cada um deixe claras as coisas que não gosta de fazer e que haja respeito por parte do outro.

Feita essa atribuição e definido o cronograma dessas tarefas, é necessário estipular a ordem das atividades secundárias como a manutenção do gramado ou plantas, a limpeza periódica da geladeira para descartar sobras de alimentos e a organização de armários e prateleiras.

Concluída essa parte, ambos devem firmar o compromisso de que cumprirão sua parte. E, para que tudo fique às claras, um calendário mensal deverá ser fixado em lugar visível da casa para que ambos se lembrem de tudo que foi acordado. É importante que cada um foque apenas em sua parte, sem neuras com o que outro fez ou não.

E, assim como em qualquer empresa, serão necessárias reuniões de avaliação periódicas. Portanto, quando o casal inicia um novo planejamento da rotina doméstica, as primeiras conversas são cruciais para que pontos falhos sejam corrigidos. Isso pede atenção pois, se uma das partes não estiver cumprindo o trato, chegará a hora em que deverá ser decidido se cabe a contratação de uma faxineira ou diarista – o que impactará diretamente no orçamento doméstico.

E por mais que seja uma grande despesa, para muitos casais, contratar alguém acaba sendo um alívio. Mas se não for possível para você e seu par, o caminho será a busca consensual por uma organização eficiente e a mudança de ponto vista. 

Ambos devem ser realistas e buscar soluções para um problema que tem causado desgaste físico e emocional. Em termos práticos, isso quer dizer que aquele for mais obcecado por limpeza e organização deverá se tornar mais flexível e refletir sobre coisas como a necessidade de engomar as roupas, manter as janelas sem poeira, o chão impecável e as panelas sempre brilhantes. Esse exame de consciência ajudará o casal a enfrentar menos estresse ao lidar com as tarefas da casa e conseguir ter uma convivência mais pacífica.

Via Aleteia 

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.