Cristo, Apaixonado pela Humanidade

1

“E o verbo se fez carne e habitou entre nós” (Jo 1, 14). Diante dessa verdade proclamada pela Palavra, nosso coração deveria transbordar de alegria, pois a partir deste Acontecimento nossa vida nunca mais foi a mesma: Cristo veio ao mundo! Podemos dizer que Jesus nos encontrou pessoalmente na Encarnação, fitou-nos com seu Olhar e nos atraiu para Si, nos atraiu com tudo o que temos e somos, especialmente com nossa humanidade, pois assumiu nossa condição humana, menos o pecado. É interessante pararmos para pensar que Jesus, sendo Deus, por amor a cada um de nós, viveu humanamente muitas situações que hoje nós vivemos, situações comuns, como: conversar, sorrir, dormir, trabalhar, comer. Foi criança, cuidado pelos seus pais, foi obediente a eles, amou, emocionou-se e teve amigos.

cristo
Jesus santificou cada canto da vida humana, com cada relacionamento de amor, curava a humanidade marcada pelo desamor, cada ato de obediência vencia a desobediência e a rebeldia, cada sorriso de Jesus trazia luz para as trevas da tristeza, da desesperança, cada Olhar atraía para Si muitos olhares que procuravam uma razão de ser e existir. Pela cruz tomou sobre Si nossos pecados e nos salvou das mãos da morte…. Ressuscitando deu-nos nova vida, vida de alegria e de esperança!

A partir deste Acontecimento que Cristo foi, é e sempre será, precisamos assumir enquanto filhos de Deus que nossa vida já é preciosa. Fomos encontrados pelo amor de Cristo que Se abaixou até nós para nos ensinar a sermos homens e mulheres livres do pecado e repletos da vida de Deus. “Ele, estando na forma de Deus, não usou de seu direito de ser tratado como um deus mas se despojou tomando a forma de escravo, tornando-se semelhante aos homens e, reconhecido em seu aspecto como um homem, abaixou-se tornando-se obediente até a morte, a morte sobre uma cruz” (Fl 2, 6-8).

Como, então, podemos continuar a viver sob o jugo do pecado, da infelicidade, do vazio, do abandono se já fomos tocados, se Cristo é essa Presença apaixonada pela nossa humanidade a tal ponto de dar Sua Vida por ela? Jesus em todos os instantes da nossa vida continua a nos olhar, desejando participar de nossos sentimentos, do nosso dia a dia, dos nossos planos, projetos, família; quer recolher nossas lágrimas, alegrar-se com nosso sorriso, nos amar e nos acolher nos momentos difíceis e até de queda. Ele conhece nossos desejos, nossas vontades, nossa busca de felicidade e sabe que só Ele é capaz de satisfazer todas as necessidades do homem; por isso não fica estático ante nossa vida, pelo contrário, insiste conosco para nos arrancar de uma vida vazia, medíocre e sem sentido.

“Descobrimos um homem que tem paixão pelo nosso nada, porque nos olha sem reduzir-nos, tendo a peito toda exigência de felicidade que nos constitui. A pessoa, sentindo-se olhada dessa forma, experimenta logo o impacto que a faz perceber a correspondência. Era isto que eu esperava: alguém que me olhasse assim, que gostasse realmente do meu eu que me afirmasse desse jeito, de modo a me fazer experimentar a vida como nunca antes!” (1)

Movidos por essa descoberta, precisamos vencer a distância que nós mesmos colocamos em nosso relacionamento com Jesus. Ele não é distante, é próximo! Aqui a questão é outra: nós precisamos nos mover até Ele, deixar que Seu Rosto resplandeça ante nossos olhos e que a fonte de Vida que brota de Seu Coração sacie nossa sede de amor e de amar.

Só assim, nessa intimidade com Cristo que é vivo, pessoal, nossa vida poderá ser transformada. Isso acontece nos relacionamentos humanos: só conhecemos e nos tornamos íntimos de alguém quando nos aproximamos, partilhamos e estabelecemos vínculos com essa pessoa. Com Cristo é mais fácil: Ele já se deixou encontrar e nos procura em nossa própria vida com ardente desejo de nos tocar. Só com esta Presença nossos valores poderão ser convertidos e nossa humanidade será vivida com autenticidade: só um verdadeiro amor coloca aquilo que nós temos de melhor pra fora, pois nos damos e nos entregamos quando realmente alguém ou alguma situação vale muito a pena. Por Ele nossas barreiras podem ser superadas, desafios vencidos, misérias convertidas e solidões arrancadas.

Cristo acontece em nossa vida agora, Ele Se deixa encontrar, isso é fato! Portanto, corramos ao Seu encontro! “Passando por eles, contudo, encontrei o amado da minha alma. Agarrei-o e não o soltarei” (Ct 3, 4).

(1) Pe. J. CARRÓN, “Movimento de Comunhão e Libertação”, 2007.

Edvane Michelon
Discípula na Comunidade Católica Pantokrator

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.