A música e seus benefícios desde o ventre

0

Rebeca Batista da Silva
Fonte: Portal da Família

Muitas mulheres, durante a gravidez, podem sofrer uma carga de emoções negativas que são traduzidas em mal-estar, insegurança em relação a si mesma ou do meio em que vive, medos, frustração ou sensação de fracasso e sem querer ou saber estão passando todas essas sensações para o bebê.

A música tem valores universais que afetam todas as pessoas e se definem pelo ritmo, harmonia, tom e melodia. Tudo que é música, para uma criança, sempre é positivo. Mas devemos ter em mente que ela deve ser adaptada aos ouvidos, capacidade de ouvir e à idade dessa criança.

musica-na-gravidez

O recém-nascido se mostra muito atento às produções sonoras, sendo que começa a coordená-las a partir dos sete ou oito meses. Esta atividade se adquire, paulatinamente, à medida que a respiração é mais controlada, coordenando-a com movimentos voluntários da boca. Logo as irá modificando e modulando, repetindo aqueles sons casuais e provocados pelos adultos que o estimulem, experimentado também com as mãos e os pés.

Quanto ao ritmo, este é adquirido de modo similar. Geralmente o ritmo é incorporado através de um chocalho, ou de um brinquedo com barulho, uma vez que lhes agrada o som que podem produzir e o repetem incansavelmente.

O bebê que escutou música de maneira ordenada e sequencial durante a gestação, recebe melhor a lactância materna e seus outros alimentos, dorme mais e chora menos, já que criou vínculos afetivos positivos com sua mãe através da música.

Antes de nascer, o bebê é capaz de ouvir, sentir ou aprender, sonhar, rir, memorizar e reagir com seus movimentos. Também percebe todos os sons que chegam através de sua mamãe, das batidas do coração, da respiração, circulação, digestivos, fetais, assim como do líquido amniótico. A música promove a inteligência musical e tem um efeito relaxante. A formação da personalidade começa a se desenvolver através de belas melodias, estimulando a criatividade, a concentração e a coordenação da criança que está para nascer.

A musicoterapia regula o estado de ânimo, alegra e suaviza os estados de tensão, estresse e depressão. Também melhora a aprendizagem, a coordenação e a resistência física.

Escolha uma música serena e melodiosa, as canções de Mozart, especialmente são as mais recomendadas. Escute com paciência e depois poderá cantá-la para o bebê. Isso favorecerá o vínculo da mãe e o bebê.

A música não gera efeitos instantâneos nem que só podem ser interpretados de uma única forma. Também não é um remédio para um padecimento específico. Uma música suave não dorme, convida ao sonho, uma música rítmica não move, convida ao baile.

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.

quinze − 7 =