Cinco livros sobre maturidade humana que você precisa ler

2
maturidade-humana

Atualmente a educação, o ritmo de vida, as mudanças culturais e sociais podem contribuir para que o homem viva a vida de forma alienada, por isso, buscar a maturidade humana tem sido cada vez menos um caminho natural. Ele não encontra mais os subsídios que necessita para buscar o amadurecimento frente a cada fase da sua vida. Veremos ao longo deste artigo, pistas sobre o que consiste a maturidade humana e alguns livros que podem nos ajudar a encontrá-la.

A maturidade humana

O processo de maturidade humana dura a vida toda. Devemos entendê-lo como um percurso no qual o ser humano vai se conhecendo e aprendendo a lidar de maneira madura com as descobertas que faz sobre si. Isso passa pelo autoconhecimento sério e comprometido, que o leva a um amadurecimento integral da pessoa, ou seja, de sua dimensão física, psíquica, social e espiritual.

Cada fase da vida humana tem suas belezas, suas exigências e nos leva a amadurecer um pouco mais à medida em que passamos por ela. Hoje é muito comum encontrarmos pessoas paralisadas psíquica, social e espiritualmente em uma fase da vida. Isso, porque vivem apenas em função de prazeres e diversões infrutíferas que, ao passar do tempo, impedem a pessoa de descobrir as belezas que a esperam na fase seguinte.

Livros que podem ajudar

Vejamos a seguir 5 livros que podem nos ajudar a compreender e refletir sobre a maturidade humana:

  1. O livro A Maturidade Humana, escrito por José Maria Monteoliva Ramos, publicado pela Editora Loyola em 1989, conceitua pontos importantes que nos ajudam a avaliar a maneira como lidamos com as situações da nossa vida e que nos levam a uma reflexão sobre a nossa maturidade humana. É um livro de poucas páginas, fácil de ler e que nos ajuda a ter uma visão geral para reflexão sobre o estar preso a si mesmo na, de nosso senso crítico,  do entendimento sobre responsabilidade diante da vida, sobre o quanto se é resiliente e o quanto a nossa sexualidade e afetividade influenciam a maneira de lidar com a vida.
  2. O livro A Arte de aproveitar as próprias faltas, escrito por Joseph Tissot e publicado pela Editora Cléofas é um livro já antigo, porém muito atual e de grande valia. Ele nos ajuda a lidar com as culpas que muitas vezes trazemos em nossos corações com base em conselhos de São Francisco de Sales, direcionados a almas que frequentemente se vêem desanimadas por se depararem com suas quedas. O santo nos alerta que somos humanos e enquanto caminhamos nesta terra somos imperfeitos.
  3. O livro Joaquim e sua Padiola, escrito por Maria Emmir O. Nogueira e lançado pela editora Shalom, é também um livro de poucas páginas e com uma linguagem muito acessível, que nos mostra que não existe mal algum em nos depararmos com as nossas limitações e fraquezas. Traz a reflexão de  como é rico quando atingimos a maturidade humana a ponto de perceber o grande tesouro que elas podem ser em nossa vida. Trata o autoconhecimento com muito bom humor e faz parte do caminho Ordo Amoris, sendo de grande ajuda como complemento ao livro Tecendo o Fio de Ouro.
  4. O livro Teologia do Corpo para principiantes, escrito por Christopher West, com base nas catequeses proferidas pelo Papa João Paulo II, nos dá uma breve pincelada sobre sobre os ensinamentos do Papa e nos leva a refletir sobre a relação entre o sexo e as questões mais profundas da existência humana. Com uma linguagem bastante acessível, o livro nos faz lembrar a raiz da nossa sexualidade nos inserindo num caminho de encontro com a verdade de Deus ao nos criar homem e mulher, e possibilitando um caminho de maturidade humana de vivência sadia de nossa sexualidade e afetividade.
  5. O livro Em busca de sentido, um psicólogo no campo de concentração, escrito por Viktor Frankl em 1946, retrata suas experiências pessoais, como um detento de um campo de concentração, mostrando na prática que é possível enfrentar as adversidades com maturidade humana, superar dificuldades e encontrar o sentido de cada fato ou situação mediante nossas escolhas diante delas. Em sua primeira parte, o livro relata a experiência de vida do psiquiatra. Já na  segunda parte, o autor descreve as bases de sua teoria – a análise existencial- que se tornou a terceira escola de psicoterapia de Viena.

Dignidade humana

Ao longo de seu relato, o autor mostra que o ser humano é capaz de interferir em seu meio e em si mesmo para ser melhor, sempre que for preciso ou necessário. Nos fala ainda que podemos desvendar o significado da vida de três diferentes maneiras: realizando algo, vivenciando valores e vivendo o sofrimento.  Por fim, com sua experiência e testemunho, nos prova que o ser humano pode manter sua dignidade humana mesmo em condições de precariedade, como em um campo de concentração.

Mas lembremos sempre que a maturidade humana é um processo para a vida toda, portanto é preciso de tempo para que ela acontece e isso exige de nós paciência! Contemos com a misericórdia de Deus diante da nossa lentidão, mas busquemos sempre ser apressados, interessados e entusiasmados na busca de atingir a maturidade humana devida e coerente.

  Sede perfeitos, assim como vosso Pai do céu é perfeito.” (Mt 5,48).

Tenha uma boa leitura!!

Gostou das dicas? Compartilhe!

Andréia Souza
Consagrada da Comunidade Católica Pantokrator

2 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.