Home DESTAQUE Teologia do Corpo – uma visão geral

Teologia do Corpo – uma visão geral

-

Neste primeiro artigo, gostaríamos de apresentar uma visão geral das catequeses do Papa João Paulo II conhecidas com o título “Teologia do Corpo”, nome também da mais nova coluna da Revista O Pantokrator (1). Essas catequeses foram apresentadas pelo Papa entre 1979 e 1983, através de 129 Audiências Gerais (2) no Vaticano. O recado de João Paulo II tinha um destino certo: todas as pessoas sedentas pela vivência do amor humano, prontas para receber uma autêntica revolução sexual!

O Papa, com este seu ensinamento, quer que nós pensemos sobre a sexualidade e sobre nossos corpos. Isso mesmo que você está lendo. A maioria de nós – eu diria quase todos os jovens – fala sobre sexo, deseja ter uma relação sexual, faz até piadinhas sobre sexo, mas poucos param para pensar o que realmente significa o sexo. Por que Deus nos criou homem e mulher e nos deu desejos sexuais? O que significa a relação sexual?
Qual a relação entre sexo e amor? Essas são perguntas fundamentais, pois se relacionam com quem somos, com o que estamos fazendo aqui, e para onde vamos. Na verdade, têm a ver com o sentido de toda nossa existência. “Uma vez que nossa criação como masculino e feminino é o “fato fundamental da existência humana” (13/02/1980), a Teologia do Corpo fornece “o redescobrimento do significado da totalidade da existência, o sentido da vida” (29/10/1980) (3).”
As pessoas mal começaram a entender e divulgar a profundidade dessa teologia e é nessa bela aventura que nós lhe convidamos a participar a partir de hoje! George Weigel, biógrafo de João Paulo II, disse, certa vez, que a Teologia do Corpo era “uma bomba-relógio teológica, programada para explodir com consequências dramáticas… talvez no século XXI” (Testemunho da Esperança, 343)”.
As 129 catequeses do Papa podem ser divididas em 6 pontos, segundo uma seqüência lógica. Por meio delas gostaríamos de apresentar, mesmo de uma forma bem simplificada, a visão geral das catequeses:
1. O homem original – Aqui o Papa nos leva para nossas origens, desde o ponto de vista teológico. Tudo começa com a discussão em que os fariseus perguntam a Jesus se é lícito pedir divórcio, pois Moisés o havia permitido. Então Jesus Cristo explica que foi por causa da “dureza do coração” do homem que Moisés permitiu o divórcio, mas que “no princípio não era assim” (Mt 19, 4). Essa é a frase-chave. A partir daí, o Papa nos leva às duas narrativas da criação contidas no livro do Gênesis, nos dois primeiros capítulos. A reflexão gira em torno do que sentiam (isso mesmo, uma tentativa de ver a subjetividade, os sentimentos de Adão e Eva!) os nossos primeiros pais, assim como responder a três perguntas fundamentais:
* O que significou a experiência da solidão original?
* O que significou a unidade original?
* O que significou a nudez original?
2. O homem histórico – O ser humano não permaneceu no paraíso, houve a queda de Adão e Eva; e o pecado entrou na história. O homem deixa de cumprir o plano original de Deus. Há uma diferença entre o homem original e nós, que vivemos na história teológica após esse pecado. O que mudou? Qual o significado da relação sexual agora? Qual seu papel para nos levar “de volta” a Deus? Por que e como Cristo nos redimiu na cruz? Como podemos viver a redenção de Cristo? O que significa acolher o dom da masculinidade e da feminilidade? Essas são as perguntas que neste ponto o Santo Padre nos ajuda a responder.
3. O homem escatológico – Escatologia diz respeito aos últimos tempos. Depois de ver nossa origem e nosso percurso na história teológica, o Papa reflete sobre o nosso destino: para onde estamos indo? Como será a experiência do paraíso, e o que nosso corpo material tem a ver com isso?
4. O celibato consagrado – Depois de analisar nossa origem, nosso caminho histórico e nosso destino, o Papa a partir de agora discute o “como” nós podemos caminhar para Deus, e aqui ele trata de um dos caminhos: o celibato.
5. A beleza e a missão do matrimônio – Na parte talvez mais bela e surpreendente de suas catequeses, o Papa fala sobre a dignidade do matrimônio, relacionando também com a relação trinitária Pai, Filho e Espírito Santo (Comunhão perfeita de Amor), e com o nosso “casamento” com o noivo, o Cordeiro, como relata o livro do Apocalipse.
No centro da Teologia do Corpo está o chamado a olhar para o nosso corpo e redescobrir nele o chamado à comunhão de amor: “Na unidade dos dois o homem e a mulher são chamados, desde o princípio, não só a existir “um ao lado do outro” ou “juntos”, mas também a existir reciprocamente “um para o outro” (9/1/80).
6. Reflexões sobre a Humanae Vitae – Na última parte da Teologia do Corpo, João Paulo II analisa as questões práticas da ética sexual a partir de uma leitura profunda da Encíclica do Papa Paulo VI chamada “Humanae Vitae”.Talvez essa Encíclica tenha sido o documento que foi mais mal-interpretado, que gerou mais oposição e controvérsia na história da Igreja, e que a maioria dos cristãos de hoje ainda continua a ignorar ou descumprir. Nela, Paulo VI diz que a contracepção (mesmo a química – pílulas) atenta contra a dignidade do amor humano, e que a Igreja não pode lhe dar seu apoio. Na verdade, João Paulo II, a partir das reflexões anteriores, nos mostra como a contracepção está na base da “cultura de morte” dos nossos tempos, e como ela fica totalmente sem sentido e contrária aos planos de Deus para nossa própria felicidade, quando refletimos no que ela significa. E mais do que isso, ele nos exorta a experimentar em nossos corpos a liberdade de amar de uma maneira total, fiel e fecunda!
Esse é um panorama bastante resumido e incompleto do que é a Teologia do Corpo de João Paulo II, e, no entanto, quer ser um grande incentivo para compreendermos melhor o significado mais profundo da sexualidade para crescermos em nossa relação com Deus, na relação com nós mesmos e com o outro.
A meta desses artigos será mergulhar no mistério e na estonteante beleza do plano de Deus para a sexualidade humana. Quando vamos estudando a Teologia do Corpo, nunca mais olhamos para nossa sexualidade e para o nosso corpo da mesma maneira.
O plano de Deus está estampado no nosso corpo, no dom da masculinidade e da feminilidade! Esperamos que essa nova coluna possa trazer maior conhecimento de Deus para todos, e assim realizar em nós a missão para a qual Deus nos criou: ser Sua imagem e assim amar como Ele ama!

Equipe Teologia do Corpo Brasil
www.teologiadocorpo.com.br
Mais informações pelo e-mail: tob@teologiadocorpo.com.br

(1) Usaremos as siglas TOB (abreviação em inglês para “Teologia do Corpo”) a fim de facilitar o estudo e a busca das catequeses na internet.
(2) Toda quarta-feira o Santo Padre oferece uma catequese para toda a Igreja. São chamadas “Audiências Gerais” e nelas nos são ensinados algum tema da doutrina católica.
(3) Christopher, West. Artigo “Por que a Teologia do Corpo está mudando tantas vidas”. As datas das catequeses estão em parênteses. Para mais informação sobre as mesmas:
https://www.teologiadocorpo.com.br/Home/audiencias

Julie Maria Lauriano
Diretora da Equipe Teologia do Corpo – Brasil

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.

EDIFICANDO A FÉ NOS CORAÇÕES

Ao tornar-se um Construtor da Fé você participa da Obra de Pantokrator e constrói a fé no coração de milhares de pessoas mensalmente atingidas pela nossa Obra. E ainda colabora na estrutura missionária e na formação dos sacerdotes da Comunidade Pantokrator.

Ao tornar-se um Construtor da Fé você participa da Obra de Pantokrator e constrói a fé no coração de milhares de pessoas mensalmente atingidas pela nossa Obra. E ainda colabora na estrutura missionária e na formação dos sacerdotes da Comunidade Pantokrator.

×