Hoje, 09 de agosto, celebramos a memória de Santa Teresa Benedita da Cruz, mais conhecida por seu nome civil, Edith Stein. Trata-se de uma filósofa alemã de origem judaica, nascida na última década do século XIX, que se converteu no verão de 1921 depois de ler, fascinada, o Livro da Vida, de Santa Teresa d’Ávila.

O encontro de santa Teresa Benedita da Cruz com a verdade

Ela, que tanto buscara a verdade nos raciocínios filosóficos e nas escolas de pensamento, enfim a encontrou ao concluir a biografia da santa carmelita. “Aqui está a verdade!”, exclamou, aliviada, após tanto tempo à procura dessa luz que nos liberta do erro e das incertezas.

santa teresa benedita

Edith recebeu o Batismo meses depois, em 1922, e, uma vez católica, viu-se chamada ao Carmelo cuja reformadora a chamara à verdadeira fé. Recebeu o hábito em Colônia, no ano de 1934; devido porém às perseguições nazistas, teve de ser transferida às pressas para o convento holandês de Ecth, onde foi capturada pelos hitleristas em agosto de 1942, sendo enviada de lá para Westerbork, um campo de concentração situado ao norte da Holanda.

De lá a mandaram, em agosto do mesmo ano, para Auschwitz, onde recebeu finalmente a coroa do martírio. O último livro por ela escrito, A Ciência da Cruz, desvela-nos a sabedoria que se esconde por trás dos sacrifícios a que os santos se entregam por amor Àquele que por eles se entregou como vítima inocente, em holocausto agradável ao Pai.

Recorramos hoje à intercessão de Santa Teresa Benedita e peçamos-lhe que nos alcance de Cristo a graça de aprendermos a carregar nossas cruzes e a saborear com paciência todo sofrimento, por amor e gratidão a Nosso Senhor.

Via Christo Nihil Praeponere

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.