Lourdes: filme que narra a história de uma doente aberta ao milagre da cura no santuário estreia esta quinta-feira no Porto.

0

O filme ‘Lourdes’, que narra a história de uma doente aberta ao milagre da cura no santuário católico francês com o mesmo nome, estreia esta quinta-feira no Porto.

A terceira longa-metragem da austríaca Jessica Hausner, produzida em 2009, foi distinguida pela Federação Internacional da Imprensa Cinematográfica e pela Signis (Associação Católica Mundial para a Comunicação), refere uma nota enviada à Agência ECCLESIA pela distribuidora, Medeia Filmes.

A Academia Europeia de Cinema também premiou a coprodução francesa, austríaca e alemã com o galardão para melhor atriz (Sylvie Testud) e a Viennale, festival que se realiza na Áustria, atribuiu ao filme de 96 minutos a distinção para melhor realizadora.

Motivada pela esperança no milagre e pela oportunidade de convívio, Christine, a protagonista, embarca numa excursão ao santuário mariano, viagem que se transforma “numa peregrinação interior”, escreve a crítica de cinema Margarida Ataíde no site da Agência ECCLESIA.

Num “filme curioso e nada linear, Jessica Hausner “opta por uma abordagem não explicitamente confessional”, o que gerou “alguma controvérsia”, pois “onde uns anteviram (e temeram) a apologia do milagre (que não faz), outros acusaram-no, pelo contrário, de o descredibilizar”, assinala Margarida Ataíde.

“‘Lourdes’ é um filme onde a tensão está toda no que não se diz, no que se sugere, na ambiguidade” que a realizadora “instala desde a primeira imagem, nos movimentos quase impercetíveis que propulsionam o seu olhar clínico sobre uma excursão de peregrinos ao santuário”, aponta por seu lado Jorge Mourinha.

Hausner “filma tudo com uma extraordinária paciência observacional”, recorrendo a “um uso inteligentíssimo do ‘zoom’”, sempre em “planos de conjunto”, como se “a religião quase exigisse que o homem abdicasse de uma postura pessoal perante o mistério da fé”, sublinha o crítico de cinema em texto publicado no jornal ‘Público’.

O filme está em exibição no Porto, no Teatro do Campo Alegre, até 1 de junho, todos os dias às 18h30 e 22h (exceto 31 de maio, em que passará só às 18h30), enquanto que em Lisboa pode ser visto no cinema King.

Agência Ecclesia

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.

oito − 2 =