Mark Zuckerberg dá boas-vindas ao Papa no Instagram

0

Líder do Facebook diz que o Papa Francisco é exemplo para todos, independente da fé

unnamedMark Zuckerberg deu boas-vindas ao Papa Francisco no Instagram. Em sua mensagem, Zuckerberg afirma que, independente da crença religiosa de cada pessoa, todos devem se sentir inspirados pelo exemplo de humildade e compaixão do Papa Francisco. Ele diz ainda que quer continuar compartilhando ao mundo a mensagem de misericórdia, igualdade e justiça do Papa Francisco.

Com um tuíte, o Papa Francisco anunciou sua presença em outra rede social, no Instagram. “Inicio um novo caminho, no Instagram, para percorrer com vocês a estrada da misericórdia e da ternura de Deus”, escreve o Papa, que no sábado, 19 de março, inaugurou sua conta @franciscus no Instagram. A primeira foto, postada pelo próprio Pontífice, o mostra em oração.

A data foi escolhida seja por marcar o início solene do pontificado de Francisco, ocorrido em 19 de março de 2013, seja pelo fato de a Igreja celebrar São José – a quem Francisco já manifestou sua devoção por ser uma imagem relacionada à missão de educar.

Em declarações à Rádio Vaticano, o Prefeito da Secretaria para as Comunicações, Mons. Dario Viganò, explicou como a conta será administrada: “Escolheremos algumas fotos feitas pelo serviço fotográfico que enfatizem os aspectos de proximidade e de inclusão que o Papa Francisco vive todos os dias”.

“A ideia é compartilhar, também com um aspecto emocional, este Pontificado”, explicou o prefeito.

A presença de uma conta oficial do Pontífice no Instagram soma-se àquela do Twitter que, somente em língua portuguesa, registra quase 2 milhões de seguidores.

Este novo passo, destaca o prefeito, segue o caminho sugerido por Francisco em sua última mensagem para as Comunicações Sociais. No documento, o Papa escreve que a “Internet pode ser bem utilizada para promover o crescimento de uma sociedade saudável e aberta à partilha”.

“Queremos narrar o Pontificado por meio de imagens que convidam todos a participar dos gestos de ternura e de misericórdia do Papa Francisco”, concluiu Mons. Viganò.

Via Aleteia e Rádio Vaticano

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.