Mais de 50 000 europeus pedem incluir Natal em agenda escolar da UE

0

PARIS, 02 Mar. 11 / 11:25 am (ACI)

Os organizadores da petição para incluir o Natal e outras festas cristãs, omitidas na agenda escolar da União Européia 2011-2012, anunciaram que reuniram até o momento mais de 50 000 assinaturas pedindo sua inclusão, que já foi aceita pelas autoridades respectivas.

As assinaturas serão entregues ao comissionado europeu encarregado da publicação, John Dalli, no próximo 20 de abril em Bruxelas.

Em uma comunicação enviada aos assinantes desta petição no dia 1 de março, os organizadores recordam que em dezembro o Partida Cristão-democrata, presidido por Christine Boutin, alertou “a opinião pública sobre um fato que tinha passado inadvertido até então: a distribuição a mais de 3,2 milhões de alunos da União Européia da Agenda Europa”.

A chamada “Agenda Europa” publica-se anualmente e é distribuída a todos os alunos escolares da União Européia através de seus professores.

Esta agenda inclui nesta edição “as diferentes festas religiosas; judias, muçulmanas, sihks e inclusive chinesas… mas nenhuma festa cristã!”, precisam.

Ante os protestos de milhares de cidadãos, a Comissão Européia divulgou um comunicado no qual anunciou a correção da agenda para incluir as festas cristãs e indicou que a omissão das mesmas “constitui um lamentável engano que será corrigido por meio de uma fé de erratas que será enviada a todos os professores que solicitaram esta edição da Agenda em todos os Estados Membros”.

Depois de assinalar que “em nenhum momento foi nossa intenção realizar nenhum tipo de discriminação em detrimento do cristianismo nesta publicação”, a comissão explicou que “a próxima edição (2011/2012), que está em preparação, incluirá as principais festividades civis e religiosas que se celebram em cada um dos países da UE”.

A Agenda Europa está sob a responsabilidade de John Dalli, Delegado europeu encarregado da Saúde e de Proteção dos Consumidores. Dalli se desculpou publicamente e se viu forçado a afirmar que “este episódio é a oportunidade de recordar que não se tolera nenhuma discriminação religiosa na União Européia”.

Sobre este fato, o ministro francês de assuntos europeus, Laurent Wauquiez, assinalou que a omissão do Natal e as festas cristãs “revelam uma deriva gravíssima que eu escolhi combater porque acredito profundamente na importância de uma Europa que assuma sua história e religiosa”.

“Sem isso reforçamos o sentimento de construir um espaço vazio, desencarnado, em suspensão, sem elos. Não se pode negar estes fundamentos constitutivos de nossa identidade européia”, concluiu.

A comunicação deste 1 de março questiona se a omissão das festas cristãs foi um “ato deliberado da Comissão Européia (que financia esta Agenda) ou um desafortunado engano? Em qualquer caso, esta omissão revela uma clara tendência de nossas instituições a negar as raízes e os valores profundos da Europa emanados entre outros de sua herança cristã”.

Deste modo indica que “em um correio dirigido a Christine Boutin, a Comissão se comprometeu a reparar seu engano. José Manuel Barroso designou John Dalli, Delegado encarregado da Agenda, para receber a lista de assinantes de mãos da Presidenta do PCD”.

Para incrementar as assinaturas que serão entregues em 20 de abril, os organizadores da petição pedem que mais pessoas se unam para mostrar “com força nosso compromisso com nossa identidade e nossos valores europeus”.

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.