Terremoto e o tsunami no Japão são um desafio para que os católicos testemunhem o mandamento do amor e da caridade fraterna.

0

Roma, 14 Mar. 11 / 09:44 pm (ACI)

O Bispo de Saitama (Japão), Dom Marcellinus Daiji Tani, assinalou que a recente tragédia que açoitou o país com o terremoto e o tsunami de 11 de março constitui um desafio para que os católicos testemunhem “o mandamento do amor e da caridade fraterna”.

Em declarações à agência vaticana Fides, o Bispo se referiu assim à tarefa que corresponde à Igreja neste país, que deixou abundantes danos materiais e segundo os últimos informe oficiais 1 647 mortos e quase 15 000 desaparecidos.

A agência de notícias japonesa Jiji assinala ademais que a polícia ainda não pôde contatar os 9 500 habitantes da localidade de Minamisanriku, uma das mais afetadas pela tragédia. Em total viviam ali 17 000 pessoas.

Conforme assinala a Europa Press, o chefe da polícia na prefeitura de Miyagi, disse ontem que “não cabe dúvida” de que há mais de 10 000 mortos.

Ante a catástrofe 47 países ofereceram sua ajuda e diversas equipes de resgates chegadas de distintas partes do mundo estão trabalhando para seguir com as operações de resgate.

O Bispo de Saitama assinalou à Fides que “a Igreja no Japão responderá à tragédia do terremoto e do tsunami que açoitaram o norte do Japão, com a oração e a solidariedade”.

“Os maiores danos se registram em Sendai, mas também a minha diocese de Saitama, um pouco mais ao sul, viu-se afetada, felizmente sem perdas humanas. Preocupa-nos particularmente a situação da usina de energia nuclear de Fukushima”.

Sobre a situação atual da usina, aonde houve uma pequena explosão -que não implicou vazamento de radiação- dois dias atrás que obrigou a evacuar a 200 000 pessoas em um raio de 20 quilômetros quadrados, a agência de notícias Kiodo deu a conhecer que conseguiram elevar a dois metros o nível do refrigerante da piscina aonde está o combustível nuclear do reator 2.

Com este processo busca-se evitar a fusão nuclear que poderia levar a uma explosão e à conseguinte expulsão de uma nuvem de partículas radiativas.

Dom Marcellinus Daiji Tani disse também à Fides que ante a situação atual “é preciso armar-se de valor, com a ajuda do Espírito Santo. Amanhã (ontem), nas missas dominicais de todo o país, vamos recordar as vítimas, os feridos e os deslocados. Como comunidade cristã, estamos preparados para oferecer nossa oração e nossa solidariedade”.

O Bispo disse finalmente que “este triste acontecimento nos recorda que a vida está em mãos de Deus e que é um dom de Deus. Além disso será um desafio para todos nós pôr em prática e dar testemunho do mandamento do amor e da caridade fraterna, neste tempo de Quaresma”.

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.