Nova Evangelização: conheça detalhes do Pontifício Conselho

0

O primeiro presidente do Pontifício Conselho para a Nova Evangelização, Dom Rino Salvatore Fisichella, explica em detalhes a missão do novo organismo do Vaticano no artigo “Nova evangelização: não fórmula abstrata, mas forte pensamento”, publicado no jornal oficial L’Osservatore Romano.

“O Evangelho não é um mito, mas o testemunho vivo de um evento histórico que mudou o rosto da história. A nova evangelização deve fazer conhecer, antes de tudo, a pessoa histórica de Jesus, e o seu ensinamento como foi fielmente transmitido pelas comunidades primitivas e que encontra nos Evangelhos e nos escritos do Novo Testamento a sua codificação normativa”, afirma.

Acesse
.: Nova evangelização: não fórmula abstrata, mas forte pensamento
.: Trechos da Carta Apostólica Ubicumque et semper

O documento através do qual Bento XVI instituiu oficialmente o Pontifício Conselho para a Nova Evangelização – a Carta Apostólica Ubicumque et semper – foi divulgado na última terça-feira, 12, durante coletiva na Sala de Imprensa da Santa Sé. A missão principal é a de promover uma renovada evangelização nos países onde já ressoou o primeiro anúncio da fé e buscar meios adequados para propor novamente a perene verdade do Evangelho.

“Vivemos um tempo de grandes desafios, que incidem especialmente nos comportamentos de gerações inteiras, devido ao fato da conclusão de uma época com o ingresso em uma nova fase para a história da humanidade”, indica o prelado italiano.

Nesse contexto, “a falta de consciência dos conteúdos básicos da fé leva, inevitavelmente, a assumir comportamentos e formas de juízo moral muitas vezes em contraste com a essência mesma da fé, assim como foi sempre anunciada e vivida ao longo dos vinte séculos da nossa história”, complementa.

Um dos motivos que levou o Papa a criar o novo dicastério vaticano foi o desejo de oferecer uma espécie de antídoto à tendência contemporânea de viver como se Deus não existisse.

“A Igreja, portanto, é chamada a revigorar a si mesma naquilo que tem de mais essencial, que é o anúncio missionário”.Frentes de atuação

Dom Fisichella adverte que a “nova evangelização” não deve ser entendida como um conceito abstrato, mas precisa ser preenchida de conteúdo teológico e pastoral, de acordo com o magistério desenvolvido pela Igreja nos últimos anos.

Ao mesmo tempo, explica que não é uma fórmula igual para todas as circunstâncias: “deve ser capaz de verificar com atenção as diferentes tradições e objetivos que as Igrejas possuem devido à riqueza de tantos séculos de história. Uma pluralidade de formas que não prejudica a unidade, mas a torna mais articulada e permite a devida eficácia junto aos nossos contemporâneos”.

As ações desenvolvidas ao longo dos últimos anos pelas Igrejas particulares, as Conferências episcopais e associações de fiéis também serão aproveitadas.

Por fim, promover o uso do Catecismo da Igreja Católica e tornar os progressos das ciências da comunicação “instrumentos positivos a serviço da nova evangelização” também são focos da missão do mais novo dicastério vaticano.

Canção Nova

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.