Amar é urgente

0
amar
amar

Amar é urgente.

É urgentíssimo!

Vivemos em um mundo que prega o individualismo, o relativismo e tantos outros “ismos” tão maléficos para o nosso coração, alma e salvação.

Na história da humanidade surgiram vários filósofos, pensadores e movimentos intelectuais que apresentaram o ato de amar sob diferentes perspectivas, definições e distorções:

– Para Platão o ato de amar é um ato de contemplação e admiração. Ele falava que o ato de amar levava a pessoa à sabedoria, a um tipo de beleza espiritual;

– No Trovadorismo, o ato de amar tinha como pano de fundo o sofrimento, a tragédia, o proibido;

– No Romantismo, o ato de amar implicava na aceitação incondicional do outro tal como ele é e na não concretização desse amor, ou seja, o verdadeiro amor é irrealizável, impossível;

– No século XX, o amor é algo mediático, volúvel, e consequentemente, passageiro: “que seja eterno enquanto dure”.

E hoje, como nos é apresentado o ato de amar?

Infelizmente, percebemos que o conceito de amor, e principalmente o de amar, está cada vez mais fragilizado e utilitarista. O amor reduziu-se a um sentimento que precisa ser intenso e não necessariamente durável. Logo, descartável.

Atualmente as pessoas “amam” tudo: seriados, músicas, celebridades, animais, céu estrelado, o sol brilhante, a chuva, o presente que se ganha, o corpo, a moda, a vida, o prazer e assim vai. E, com a mesma intensidade que se ama, logo em seguida, odeia-se.

Neste século, fala-se em amor com tamanha facilidade e eloqüência que chega-se rapidamente à banalização da palavra. É um amar individualista, egocêntrico e até mesmo egoísta.

O ato de amar do século XXI parece ser cada dia mais efêmero.

Afinal, o que é o amar?

Por que é urgente e vital ao ser humano amar?

A essência do ser humano é amar

Fomos criados para amar e sermos amados! A essência do ser humano é o amor.

Fomos criados à imagem e semelhança de um Deus que é Amor. Deus trinitário, em que a terceira Pessoa é o amor entre o Pai e o Filho.

Nossa primeira vocação é amar!

Isso precisa estar enraizado em nosso coração e razão de tal forma que praticar gestos de amor seja tão natural para nós quanto dormir, comer e trabalhar.

Podemos ter várias vocações: profissional, matrimonial, religiosa ou de consagração em um carisma específico, contudo, toda e qualquer vocação precisa estar centrada no amar.

Quanto mais amarmos, mais estaremos vivendo a nossa essência, nossa vocação.

O ser humano quando não ama, desconfigura-se!

Somos a única criatura de Deus capaz de amar, dar e receber amor, praticar gestos concretos de amor. A potência de amar que existe em nós ajuda-nos a transcender!

Os santos nos ensinam com maestria isso:
– “Minha vocação é o amor”. (Santa Teresinha do Menino Jesus)

– “O amor é como um laço de ouro que une os corações de quem ama e de quem é amado”. (Santo Afonso Maria de Ligório)

– “O amor não consiste em sentir grandes coisas, mas em despojar-se e sofre pelo amado”. (São João da Cruz)

– “O essencial não é pensar muito. É amar muito.” (Santa Teresa D’Avila)

– “Quem ama não conhece nada que seja difícil.” (Santo Antônio de Pádua)

– “Amar é querer o bem a qualquer um.” (São Tomás de Aquino)

– “A medida do amor é amar sem medida.” (Santo Agostinho)

Quando amamos nos tornamos plenos e realizados!

A alma rejubila-se quando recebe e dá amor.

Se não amarmos, desligamo-nos da videira verdadeira que é o Cristo.

Creio que quando nos encontrarmos face a face com Deus a primeira pergunta que nos fará será: “O quanto você amou em sua vida?”

Convido você agora a fazer a seguinte oração comigo: “Senhor, sou tão fraca”, por mim mesma nada sou e nada posso. Sei que pelo Batismo, o Espírito Santo que é o Amor, habita em mim. Por isso, peço, ensina-me a amar”. A amar as pessoas e situações que se apresentam no cotidiano da minha vida. Amar sem esperar nada em troca, de forma desinteressada e despojada. Ensina-me também a reconhecer e acolher o Seu amor e o das pessoas que fazem parte da minha história. Que pela Tua Misericórdia e Graça, minha vocação se concretize: amar. E que eu consiga responder quando nos encontrarmos face a face: pela Tua graça, eu amei muito!”.

O AMAR revelado por Cristo

Cristo revelou o Pai.

Ao longo dos trinta e três anos que Cristo viveu nesta terra, Ele não fez outra coisa a não ser AMAR. Praticar gestos concretos de amor ao próximo. Cristo sorriu, riu, curou, libertou, jejuou, orou, chorou, dormiu, ensinou, estudou, pregou, comeu, festejou, sofreu e em toda e qualquer situação AMOU.

Ao nascer e assumir a nossa humanidade despojou-se de Sua Glória fazendo-Se humilde e pobre. Não reteve nada para Si mesmo. Cristo sempre Se deu sem medidas. Deu o próprio sangue e vida para nos salvar.

Que amor é esse?

Lembrei-me agora da música escrita pelo meu irmão de Comunidade, Edvandro:

O meu Deus me acompanha pra onde eu vou.

Me tem sob Seus olhos.

Me tem gravado em Suas mãos.

Que amor é esse que não me deixa só?

Que amor é esse que não me abandona mesmo quando fraco sou

Ele cuida de mim.”

Deus é AMOR!

A única fonte inesgotável do amar.

Como precisamos aprender com Cristo!

Cristo, por EXCELÊNCIA, ensina-nos o que é amar e como praticar gestos de amor.

Ele é nosso Salvador e Mestre.

Como se faz tão necessário nos dias de hoje que realmente tornemo-nos outro Cristo para testemunharmos o que é amar. Testemunhos de amor verdadeiro, puro e desinteressado urgem nos tempos atuais!

Porque a criação aguarda com ardente expectativa a revelação dos filhos de Deus”. (Rm 8,19)

Para amar é preciso deixar-se ser amado por Deus

O que não se tem ou o que não se sabe, também a outro não se poderia dar ou ensinar“. (Agatão – O banquete, Platão).

Cada um dá o que tem”. Concorda com essa afirmação? Eu concordo.

Entretanto, não permito que ela seja uma verdade absoluta em minha existência e nem paralise a potência e obra de Deus em minha alma.

Eu sou limitada. Deus não É!

Eu dou o que tenho. Mas, o Amor Poderoso de Deus tudo pode curar, libertar, transformar e transbordar no meu ser: coração e alma. Logo, eu posso por graça de Deus, dar o que não tenho!

Para aprender a generosidade no amar é necessário deixar-se ser amado pelo AMOR! Por Deus, que é Todo Poderoso.

Ninguém me ama e te ama como Deus. Somente Ele que é o próprio amor pode nos amar com a Sua autoridade e plenitude.

Quanto mais tenho consciência do amor de Deus e sinto-o em minha vida maior torna-se minha capacidade de amar.

Deus é a fonte inesgotável de amor e do concretizar amor com pequenos ou heróicos gestos.

Quer aprender a amar? Deixe-se diariamente ser amado por Deus em todos os momentos da tua vida.

Amar é uma decisão, não é um sentimento

Amor não é um sentimento.

Amar é uma decisão diária.

É ousado? Muito!

Viver neste mundo é desafiador. Cada dia mais sou crente do quanto não é fácil viver esta vida aqui na Terra. Assim como sou crente também que quanto maior for o desafio maior é a graça concedida por Deus para vivê-lo.

Logo, se Deus permite que eu esteja viva hoje é porque Nele eu posso ser o que Ele sonhou. Ou seja, eu posso ousar amar todas as situações e pessoas que se apresentam em minha vida.

Eu posso escolher amar contra todo desamor, contra toda desesperança e contra toda possibilidade, contra toda maldade, contra todos os medos/inseguranças e contra todas as incertezas.

Se Deus pode (e Ele pode!) e se Deus quer (e Ele quer), eu Nele também posso e quero!

O único gesto que Deus espera de mim e de você é o SIM! O resto (TODO o resto) Ele faz!

Senhor, mesmo com todas as minhas limitações, que são muitas, eu escolho amar. Escolho ousar no amor no ordinário da minha vida. Sei que em Ti tudo posso! Amém.”

Gestos concretos de amor ao longo da vida

Amor não sobrevive de teorias. Amor sobrevive de pequenas ações colocadas em prática no ordinário da vida.

Para concretizar gestos de amor precisamos de uma vida de intimidade com Cristo, de vivência fecunda da Palavra de Deus, dos Sacramentos e da certeza que Deus, a partir do nosso sim, capacita-nos.

Talvez quando pensamos em gestos concretos de amor, pensamos em ações grandiosas e romantizadas.

Praticar gestos de amor é bem mais fácil e simples:

Calar-se durante uma discussão para não piorar a situação acalorada do momento, é gesto de amor;

Sorrir, ser cortês com as pessoas independente do grau de intimidade ou situação, é gesto de amor;

Ficar magoado (quando alguém consegue nos magoar, geralmente é porque essa pessoa é importante para nós) e conversar sobre a situação com a pessoa que te magoou, é gesto de amor;

Pedir perdão por ter chateado alguém, é gesto de amor;

Orar por seus queridos e amados ou por alguém que necessita de intercessão, é gesto de amor;

Corrigir com sabedoria um filho ou uma pessoa, é gesto de amor;

Dizer NÃO a alguém quando necessário, é gesto de amor;

Doar seu tempo, seus dons, é gesto de amor;

Ouvir uma pessoa que precisa desabafar, é gesto de amor;

Doar roupas, brinquedos e alimentos a quem precisa, é gesto de amor;

Deixar-se ser humilhado em algumas situações, é gesto de amor;

Rezar diariamente para buscar intimidade com Deus, é gesto de amor;

Colocar-se no lugar do outro numa situação difícil (compadecer-se) é gesto de amor;

Cozinhar bem para sua família, é gesto de amor;

Deixar seu vizinho sair primeiro do elevador, é gesto de amor;

Ofertar a Deus uma dor ou uma tristeza para que se complete no seu sofrimento o que faltou à cruz de Cristo, é gesto de amor;

Ofertar suas alegrias a Deus, é gesto de amor;

Interceder junto a Deus por um milagre, uma cura, uma necessidade ou salvação de alguém, é gesto de amor;

Cuidar de alguém enfermo, seja essa enfermidade simples ou grave, é gesto de amor.

Percebe como é fácil amar! Como é fácil praticarmos gestos de amor em nosso dia a dia.

Quantos e quais gestos de amor você praticou hoje? Reflita sobre esses gestos. Faça memória deles durante sua semana. Louve a Deus por você ter acolhido a graça e realizado de forma concreta gestos de amor.

Identifique também as oportunidades que você perdeu para amar. Certamente, somos incapazes de aproveitar TODAS as oportunidades que Deus nos concede para amar.

Gradativamente, com fé e perseverança vamos aprendendo a amar e entendendo que AMAR É URGENTE.

E quando não consigo amar?

Diariamente estamos favoráveis e predispostos a praticar gestos de amor?

Certamente que NÃO!

Existem situações, fases de vida, pessoas e mágoas que nos impedem de amar e concretizar os gestos de amor.

É fácil amar quem te magoou ou chateou? Não

É fácil amar quando se está enfermo, com dor e sofrendo? Não

É fácil amar quando se é humilhado ou injustiçado? Não

Acredito que tanto para mim quanto para você não seja nada fácil amar em situações desafiadoras. Todos nós temos nossas mazelas e dificuldades. Há momentos em que nosso temperamento difícil e orgulhoso gritam!

Sim, somos todos pecadores.

Estamos constantemente em processo de transformação e conversão.

Quando percebo que está tão difícil amar eu contemplo a cruz de Cristo.

A cruz de Cristo é o maior sinal de amor. Deus nos ama tanto que deu todo seu sangue e vida na cruz para nos salvar.

Há maior prova de amor que a cruz de Cristo?

Há maior gesto de sacrifício que morrer na cruz?

É na cruz de Cristo que posso contemplar o amor em plenitude. Que posso tentar aprender o que é doação, o que é praticar um gesto de amor.

É pouco provável que um dia Deus me peça que seja também crucificada numa cruz como Cristo foi como gesto de amor. Mas, Deus permite pequenas cruzes: quando escolho amar/perdoar uma pessoa que não me agrada ou me fere; quando me deixo ser humilhada; quando me calo para não ferir com palavras uma pessoa se estou irada; quando tenho razão num ponto de vista, mas escolho não enfatizá-lo para não constranger uma pessoa; quando sou rejeitada por alguém que amo … Enfim, são tantas as situações onde Deus me chama a abraçar pequenas cruzes como gesto de amor.

E quando todo meu ser nega-se VEEMENTEMENTE a abraçar essas pequenas cruzes, eu olho para a cruz de Cristo e dela eu tiro forças para dizer o sim que Deus me pede lembrando que se faz urgente amar: na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na pobreza e na riqueza, enfim, em todas as situações que surgirem na minha vida.

“Senhor, onde eu não consigo, Tu consegues.

Onde eu não posso, Tu podes.

Quando eu não quero, Tu podes me ajudar a querer.

São José, valei-me.

Santa Teresinha do Menino Jesus, rogai por nós!

São João Paulo, rogai por nós!

Amém.”

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.