Amor não é o que se sente, mas o que se faz

0
Amor
Amor nao e o que se sente

Esse será um texto sobre o amor. Se você está cansado de ler sobre isso, ou nem acredita no amor, peço que não desista dessa leitura, corra o risco de se surpreender.

Bom, vamos ao que interessa! Certamente você já ouviu por aí que o amor é uma decisão, não um mero sentimento. Confesso que sempre que me deparava com essa afirmação me batia uma “bad” existencial, parece algo duro demais, soa como se o amor fosse uma imposição e não algo livre e bom de viver. Graças ao Bom Deus esse meu pensamento mudou e partilho com você o porquê disso.

O amor é decisão por ser concreto, real. E não e apenas um sentimento porque não está à mercê das intempéries da vida. Imagine uma mãe que precisa levantar na madrugada para amamentar o filho: se fosse pelo sentimento, ela compraria um protetor auricular para abafar o som e continuaria dormindo; mas, por uma decisão concreta, real, não fácil, mas transcendente, essa mãe se levanta e alimenta seu filho. É assim que Deus age conosco: “Deus amou tanto o mundo que deu o seu único Filho, para que todo aquele que nele crê não se perca, mas tenha a vida eterna” (Jo 3, 16).

Às vezes, ficamos lamentando que a coisa na nossa vida não dá certo, que ninguém nos ama, que tudo é muito difícil. Amar é difícil. Viver é difícil. Olha, é difícil mesmo, mas enquanto não nos decidirmos pelo Amor, tudo perde o sentido e viver se torna ainda mais pesado do que já é. Quando mencionei que Deus mudou meu jeito de olhar o mundo, não foi num toque de mágica, foi com um toque de Amor. Um toque que me ensinou uma “matemática divina” muito singular, segundo a qual, quanto mais dou da minha vida para os outros, quanto mais estou disponível e a serviço do meu próximo, sem esperar que ele me responda da mesma maneira, mais amor eu tenho.

No atual contexto cultural em que somos ensinados que nossas relações, nossos trabalhos são para nos fazer felizes, é totalmente estranho dizer que nossa vida é para fazer o outro feliz. Ao ouvir que o amor é uma decisão pelo outro apenas por ele ser quem é, e não pelo que pode nos oferecer em troca, parece até injusto. Afinal de contas, não queremos ficar de mãos vazias. Mas a realidade, meus amigos, é que, de mãos vazias, ficaremos com o coração cheio!

Para mim, a frase “amor é decisão” soava de maneira impositiva e ruim pelo fato de os meus pensamentos passarem pelo filtro do meu egoísmo, que não admitia fazer coisa alguma que não fosse para satisfação pessoal. Hoje, o Bom Deus me permite ver com clareza e me ilumina para perseverar todos os dias na decisão de amar, fácil não é, mas me faz livre e essa liberdade interior vale todo sacrifício, toda doação, toda missão.

Como Católica Apostólica Romana, não posso querer nada menos que isso, nada menos que seguir os passos de Jesus, que Se consumiu até a última gota de sangue por amor a mim e por você também. Ele Se decidiu de forma concreta, real, total! Precisamos converter nosso coração e colocar o amor em movimento e não no sentimento.

Se assim como eu, você deseja o céu, então, não tenha medo de mudar de atitude e passar do sentimento para decisão pelo Amor. Ninguém entra no céu de coração inteiro, afagado, mimado, mas somente aqueles corações quebrantados, decididos e perseverantes, ainda que sem sentir “um gostosinho” na vida.

Que o Espírito Santo ilumine nossa caminhada e a Virgem Santíssima nos ensine a viver essa decisão todos os dias de nossa vida. Deus abençoe!

Fernanda Guardia
Consagrada da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.