Arranque suas máscaras, abandone os seus papéis

0
máscaras

Deus nos sonhou para vivermos em liberdade: livres de nossos medos e máscaras. É vontade de Deus que vivamos uma vida plena, feliz, realizada e autêntica alicerçada na nossa verdadeira identidade. Nossa vida é preciosa, única e Deus quer que a vivamos em plenitude. Viver em plenitude significa rejeitar uma vida irreal e fragmentada, vivida com papéis forjados como se estivéssemos vivendo uma peça teatral. Encenando personagens fictícios que, na verdade, escondem nossa verdadeira identidade e nos afastam da vontade de Deus para nossas vidas.

Arranquemos nossas máscaras. Abandonemos nossas falsas “verdades”. Assumamos nossa identidade – quem realmente somos – com coragem, alegria e sem temor. Somente na liberdade podemos assumir o que Deus sonhou para nossa existência. Somente na liberdade podemos buscar uma vida de santidade e a verdadeira salvação e redenção.

Não há máscaras para Deus

Muitos somente nos vêem. Vêem e tocam a superfície de quem realmente somos. Mas, somente Deus nos conhece! Conhece a nossa essência e identidade com grande profundidade. Isto porque, Ele é o Criador, Ele é o nosso Criador e somente Ele sabe quem realmente somos, o que pensamos e sentimos. Apenas Deus conhece nosso potencial.

Santo Agostinho tem uma frase que me fascina: “Aquele que te criou sem Ti não quer te salvar sem Ti”. Essa frase merece uma lectio, momentos de reflexão.

Deus nos deu a liberdade de pensar, agir, escolher e viver. Todos os dias, Ele quer nos amar e salvar, mas não deseja fazer isso sozinho. Deus quer agir na nossa liberdade, deseja continuar nos salvando em nossa liberdade porque nos conhece.

Ele te conhece! Conhece o teu coração e tua alma. Conhece teu potencial.

Deus consegue enxergar o que há de melhor em nós. Um melhor que nem nós mesmos conseguimos enxergar e reconhecer. Sendo assim, Ele enxerga além de nossas máscaras, enxerga nossa verdade nua e crua e continua nos amando profundamente. Acolhe-nos como somos: com nossas mazelas, fraquezas e pecados e convida-nos a enveredar pelo caminho da liberdade, da autenticidade, da salvação, da redenção e da felicidade junto com Ele. Esse é o convite de Deus para cada um de nós hoje.

Qual tua resposta? Eu sei qual é a minha: “Ajude-me, Senhor a crescer no abandono e confiança em Ti para conseguir abrir mão das máscaras que ainda estão enraizadas na minha face, no meu ser. Ajude-me a descobrir as máscaras que ainda são tão sútis e confortáveis. Ajuda-me, com Tua graça a encarar a minha verdade diante de Ti com humildade, simplicidade e paz. Eu confio em Vós”.

Ser livre em Deus, com Deus e em Deus

Ser livre não significa falar ou fazer o que bem entender. Não significa viver sem pensar nas conseqüências dos seus atos, sem preocupar-se com o outro, com a vida e sentimentos do outro.

Aquela frase que, às vezes, pensamos ou ouvimos: “Sou verdadeira. Falo o que penso, doa a quem doer e faço o que eu bem entender”. Isso não é liberdade, não é autenticidade! Ser livre é fazer escolhas que muitas vezes nos levam a renunciarmos nossas vontades e sonhos por amor a alguém ou por um bem maior, comum e coletivo.

Ser livre é, em alguns momentos, escolher a porta estreita. É andar na contramão do mundo, é defender uma vida ou ideal ou valor que não vai agradar a maioria das pessoas. Ser livre é mostrar-se como de fato se é. Uma pessoa com sucessos e fracassos, com virtudes e defeitos, com alegrias e tristezas, com acertos e erros e com bravuras e medos. É se olhar no espelho sem máscaras, encarar a nudez de seus sentimentos e atos. É mostrar quem se é sem máscaras e encenações.

Ser realmente livre requer coragem, humildade e ter a certeza no coração e na alma que sou amado(a) da forma como sou. Exatamente como sou! Aquele que se reconhece ser amado por Deus consegue alegrar-se com sua identidade e se lançar nas tentativas de mudanças do que se pode ser trabalhado e mudado. Consegue se lançar nos processos cíclicos do autoconhecimento.

Aquele que reconhece ser PRECIOSO para Deus, consegue abrir mão de suas máscaras e subterfúgios. Torna-se capaz de ser feliz, realizado e proclamar que: “Não sou perfeito. Sou precioso!” Somente Deus é perfeito! E, em nenhum momento da história da humanidade, da minha história de vida ou da sua, Deus pediu, pede ou pedirá perfeição. O que Deus sempre pede é crescer no amor.

Ser livre é se amar, pois se livrar das máscaras e falsas verdades é uma grande libertação e gesto de amor para consigo mesmo. Ser alguém que não se é requer um esforço exaustivo e angustiante. Por isso, arranque suas máscaras, abandone os seus papéis e seja livre para assumir a vontade de Deus para sua vida, para sua história. Dê uma chance a Deus para te mostrar que os planos Dele para sua vida são melhores que os seus, e que podem ser surpreendentes!

Abandonar as máscaras exige dar passos na caminhada da maturidade

Um dos perigos de viver de papéis e encenações é o de se acostumar com aquele personagem criado sobre nós. Ao ponto de não sabermos mais quem somos e qual o nosso potencial. Geralmente, é confortável e “seguro” não mostrar quem realmente somos, porque ser e mostrar quem se é requer coragem e caminhada constante e perseverante. Assim, é necessário darmos passos rumo ao autoconhecimento para irmos, um dia de cada vez, conquistando maturidade humana.

Não é fácil encarar nossos defeitos, fraquezas, incapacidades, fracassos e medos, mas é necessário, é possível. E Deus deseja que alcancemos a estatura de seus filhos e filhas, nisso consiste nos conhecermos e assumirmos quem realmente somos diante de Deus, diante de nós mesmos e diante das pessoas.

É libertador ter clareza das nossas potencialidades e fraquezas. Descobrir nossa essência diante de Deus e poder dizer como santa Teresinha do Menino Jesus: “Eu sou o que Deus pensa de mim”. É um processo diário, um dia de cada vez, mas nenhum de nós está sozinho nessa caminhada: Deus está conosco.

Podemos contar com a graça de Deus, com ajuda dos familiares e irmãos em Cristo e com ajuda profissional, se for necessário. O importante é dar os passos diários rumo ao amadurecimento para conseguirmos lançar fora todas as máscaras que nos impedem de realizarmos a vontade de Deus em nossas vidas.

Que os santos intercedam para que – assim como eles, com humildade e desejo de coração – possamos crescer em santidade e autenticidade.

Virgem de Guadalupe, rogai por nós.

Santa Teresinha do Menino Jesus, rogai por nós.

São João Paulo II, rogai por nós.

Marcia Correa
Consagrada da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.