Como crescer na amizade com Deus?

0
amizade

Você já quis saber como crescer na amizade com Deus? Se sim, que maravilha, se não, ainda temos tempo! Eu te pergunto: por que não crescer na amizade com Deus? Existe algo mais satisfatório que isso? Ser amigo do Dono de tudo? Aquele para O qual todas as coisas foram feitas? “Tudo foi feito por Ele, e sem Ele nada foi feito.” (Jo 1, 3)

Para iniciarmos essa reflexão, precisamos pedir ajuda a pessoas que conseguiram atingir um alto grau de amizade com Deus. Eu não tenho muito a agregar, sou muito imperfeito e tenho um longo caminho de conversão pela frente, entretanto, podemos nos apoiar nos heróis da nossa fé, pessoas que conseguiram “completar a corrida, guardar a fé”. Santa Teresa de Ávila se mostra uma grande especialista na causa. Apoiado em sua Doutrina das 7 moradas, ensinada através do livro “Castelo Interior”, busquei fazer um paralelo com as características da amizade humana.

Dedicar tempo para estar com o Amigo

O primeiríssimo passo é esse; não tem como fazer amigos sem estar presente de corpo e alma diante da pessoa… com Deus não é diferente! É necessário se colocar em Sua presença, e o nome desta atitude é “oração”! É urgente ter vida de oração! Ir à missa, rezar com a Palavra de Deus, ter frequência nos sacramentos, rezar o santo terço, fazer jejum ou abstinência, ajudar o próximo, visitar os doentes, dar bons conselhos, evangelizar, se engajar em algum serviço na Igreja… tudo isso representa as oportunidades que temos de crescer na amizade com Deus.

Não seja orgulhoso!

Ninguém suporta uma pessoa orgulhosa, que fica contando vantagens, que quer ter razão em tudo, que quer dar conselhos o tempo todo, que se mostra superior, que quer impor seus pensamentos, suas ideias e todo o resto não “presta”; uma pessoa que é autossuficiente e que não demonstra o mínimo de apreço por você. Embora nenhuma dessas chatices façam você ser menos amado por Deus, se quiser crescer na amizade com Ele é necessário deixar de lado essa falta de humildade.

Respeitar o Amigo

Quando acabamos de conhecer alguém, sabemos minimamente como respeitar aquela pessoa. Do pouco que conhecemos a Deus, precisamos respeitá-Lo; portanto, esse é o momento de buscar a confissão, de retomar aquelas coisas que sabemos que estão erradas mas vamos varrendo para baixo do tapete… pois bem, onde é que estamos desrespeitando Deus? Aqui é um momento em que vemos que nossos vícios atrapalham muito neste processo, é necessário ter coragem e desapego.

Buscar conhecê-Lo cada dia mais

Verdadeiros amigos se conhecem só de olhar para as expressões faciais um do outro; já é possível entender o que ele está pensando. Entre amigos existe uma busca natural de conhecer mais do outro.

Com o Senhor não é diferente, é necessário perseverar no conhecimento de Deus, insistir, insistir e insistir. Neste início de amizade é muito comum acontecerem recaídas, retomarmos pecados antigos, perdermos o interesse e o encanto, mas isso é fase; é necessário permanecer perseverante.

Valorizar o Amigo

Como é gostoso se sentir valorizado por um amigo, como é bom ver que alguém nos ama e nos quer bem e se preocupa conosco! Da mesma forma, alguém que busca ser amigo de Deus, teme muito ofendê-Lo, valoriza essa relação mais do que tudo na vida.

Confidenciar os segredos mais profundos

Às vezes, pela nossa falta de maturidade, vamos abrindo sem pudor o mais íntimo do nosso coração para qualquer pessoa. O “melhor” seria selecionar aqueles que já estão com um grau de amizade mais elevado e que já sabe te acolher nas suas misérias. O Senhor é perfeito e misericordioso. Deus ama te ouvir, ama que você abra para Ele seus sentimentos, suas dores, seus segredos, vontades, sonhos, medos e tudo o que você tem dentro de si.

É importante que essa conversa não seja um monólogo, onde somente você fale. É necessário criar intimidade com as Sagradas Escrituras e usá-las para que Deus jogue luz diante das situações que você está apresentando. E se não obtiver respostas imediatas, busque abandonar-se em Sua bondade, confiar que Ele é bom e está cuidando do seu coração.

Ser generoso com o Amigo

É muito comum as amizades acabarem por falta de generosidade, por ficarmos medindo quem ama mais na relação e depois cobrar a diferença. Precisamos ser generosos, como diz uma música da Ziza Fernandes, “o inferno começa no se comparar”. Não dá pra ficar comparando as coisas, não podemos medir porque o amor não tem medidas, ele é total; não podemos cobrar porque o amor é livre; não podemos calcular porque o amor é fiel, não tem plano B, é apostar tudo; e também não podemos negar nossos bens, dons, nossa vida, porque o amor é fecundo.

Ser fiel para sempre ao Amigo

O exemplo mais próximo desta fidelidade é a união entre o homem e a mulher, após terem contraído o sacramento do matrimônio em estado de graça e consciência do ato. Que coisa maravilhosa, pois o matrimônio aponta para uma amizade profunda com Deus que se dará na eternidade. Alguém que atinge esse nível de união com Deus ainda aqui nesta terra, geralmente está próximo de concluir sua missão, pois tudo foi consumado pelo amado, agora resta apenas encontrá-Lo para sempre no Reino dos Céus. Por isso o casamento é indissolúvel, pois aponta para uma realidade futura indissolúvel, eterna, para o nosso fim último, nossa realização plena, nossa união perfeita com o Criador através de nosso Senhor Jesus Cristo pela unção e graça do Espírito Santo.

Lucas Sturion
Consagrado da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.