O que compete com Deus no seu coração?

0
compete

Nem sempre essa é uma pergunta fácil de responder. Às vezes, o ativismo nos rouba a resposta pelo simples fato de não reservarmos tempo para pensar nela, muito menos para nos aprofundarmos nessa reflexão. Ou talvez a preguiça nos arraste para outros cantos, enquanto nem consideramos tão importante assim saber o que compete com Deus em nossas vidas.

O fato é que essa pergunta é relevante, pois ao descobrirmos a resposta, descobrimos também um caminho mais claro a ser seguido: o que devemos deixar, contra o quê devemos lutar.

O que compete com Deus sempre sairá perdendo, nem que seja no final da vida. Cabe a nós decidirmos de qual lado estaremos, pois vencerá em nós o que mais alimentarmos em nosso coração. Posso optar também por nem pensar nisso, porém, a responsabilidade continua sendo minha. Diariamente, alimentamos quem ou o quê é mais caro ao nosso coração. Podem ser pensamentos, atitudes, pessoas, situações, coisas… enfim, tudo o que compete com a primazia devida de Deus em nós.

Eis aqui uma questão importante a ser considerada: o que mais alimentarmos em nós será o que mais crescerá e se fortalecerá. Porém, nada fora de Deus tem o poder de nos libertar, tudo o que competir com Ele e vencer, mesmo que temporariamente, nos dominará e nos tornaremos escravos dos nossos próprios “deuses”. Pensando que eles estão nos servindo, nós é que servimos a eles! Um pensamento de vitimização, por exemplo, pode ir nos dominando até o ponto de não sabermos mais viver sem ele e o confundirmos com nossa própria personalidade. Quem dominou quem aqui? Em contrapartida, quando damos a Deus nosso coração, Ele começa um processo de libertação de tudo o que pode nos escravizar, por isso é um caminho exigente, pois nossa tendência é servir o que nos exige menos ou quase nada. O caminho mais atraente e prazeroso assim se apresenta exatamente para ser mais fácil de nos dominar.

“Onde está o teu tesouro, lá também está teu coração.” MT 6, 21

Onde está o teu tesouro? A entrega a Deus não é uma imposição ou exigência, é uma proposta, uma escolha livre. Tudo o que compete com Ele nos aprisiona num ciclo vicioso que nada tem de liberdade, mesmo que esse seja o nome com que se apresente, como o lobo em pele de ovelha. Experimente sair sozinho de um vício, e veja se consegue “parar quando quiser” o uso de uma droga, por exemplo. Você só é livre para entrar nela! Assim funciona, em menor ou maior grau, com as pessoas, situações, coisas, pensamentos e atitudes que querem roubar a primazia do amor de Deus em nossos corações. Enquanto essas coisas nos sugam até a morte para dominar sobre nós, Jesus morre para nos garantir a vida e a liberdade de escolhê-lO e com Ele dominar sobre todas as coisas! Incomparável!

Sabemos que nosso tempo é precioso. Para que retardar nossa conversão? O amanhã não existe, o hoje que é real! Não adianta adiar o necessário para dar lugar ao importante, a necessidade só aumentará, quanto mais tempo protelar, mais ela crescerá. Enquanto o importante pode deixar de sê-lo, o necessário não. E o único verdadeiramente necessário é Cristo Jesus! Isso não nos exime de atender ao que é importante, sim, precisamos, porém, não deve roubar o lugar do “Único Necessário” em nossas vidas.

Viver todas as coisas com equilíbrio é enxergar a vida com sinceridade e verdade: Deus é O Soberano e tudo o mais está aos Seus pés. O que compete com Ele é enganoso. Quando Deus está acima de tudo e todos, tudo encontra seu devido lugar, e é aí que se encontra a tão almejada paz!

Rosana Vitachi
Consagrada da Comunidade Católica Pantokrator 

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.