Solteiro: A santidade é a chave para uma espera em Deus

0
santidade

A santidade é a vocação de todo homem, o lugar privilegiado para encontrar Deus e, consequentemente, a felicidade, pois “Só em Deus o homem encontra a verdade e a felicidade que não se cansa de procurar” (CIC 27). Para você que é solteiro, pode ser que Deus não te chame a se casar e ter filhos, mas com certeza te chama a ser feliz, a ser pleno.

Pode ser que a leitura dessas primeiras linhas não seja exatamente o que você gostaria de ler ao ver o título desse artigo. Como assim não vou me casar? Mas de fato, o caminho para a felicidade não está no casamento, mas sim na santidade.

Que fique bem claro, meu objetivo aqui não é te jogar um “balde de água fria”, muito menos fazer com que você, como solteiro, perca a esperança, mas sim fazer você entender que casamento não é sinônimo de felicidade, assim como estar solteiro não é sinônimo de solidão e tristeza.

“Para tudo há um tempo, para cada coisa há um momento debaixo dos céus” (Ec3,1)

A santidade é a chave para uma espera em Deus

Sei que para muitos de nós, cristãos vocacionados ao matrimônio, esperar é por vezes penoso, mas se você quer, de verdade, ser feliz, não há outro caminho. A graça da espera é a certeza de estar na vontade Deus, que é plena e perfeita. É preciso viver esse tempo em santidade, em discernimento e escuta de Deus.

Todo cristão que se empenha em viver sua afetividade e sexualidade na santidade busca colocar Deus em primeiro plano, acima de seus desejos e sonhos, pois sabe que Deus basta, que n’Ele está a sua felicidade.

“Ensina-nos a contar os nossos dias, e dai ao nosso coração sabedoria.” (Sl 90:12).

Tenha paciência, não se desespere, viva sua solteirice na santidade. Deus é mais sábio que nós, vê além, aos poucos vai nos preparando, nos amadurecendo. É verdade que nos causa certo desconforto ver nossos amigos namorando e se casando enquanto continuamos solteiros, mas é preciso confiar que Deus é bom e tem o melhor para nós.

“O que vale a pena possuir, vale a pena esperar.” (Edith Stein)

Esperar na alegria

Gosto muito da frase de São Josemaria Escrivá que diz: “Que a tua vida não seja estéril, sê útil, deixe rastros”, que possamos viver assim nossa solteirice. Conheço muita gente solteira, mas feliz e realizada porque encontram realização e sentido para suas vidas em Deus, na doação, na santidade. Felizes, mesmo sozinhos, pois aprenderam a generosidade do dom de si, não vivem uma vida egoísta.

Esses meus anos de solteira tem me ensinado que só a simplicidade, a autenticidade e a verdade nos gabaritam a encontrar alguém para namorar, e que a santidade é que nos forma na escola do amor, para que sejamos empenhados em fazer o outro feliz e não o contrário. Esse processo exige esforço e paciência, verdade e serenidade. Se o desespero bater à nossa porta e deixarmos que ele entre, perdemos a visão e nos perdemos diante do que é essencial.

É como eu disse no início, o essencial é a nossa santidade, ela nos conduzirá à plena felicidade. Muitos santos costumavam dizer que uma das formas de martírio era o da paciência. Por vezes você vai ter que “engolir sapo”, ouvir um ou outro te chamar de encalhado, solteirão. Mas não se esqueça: a paciência é uma via segura que nos conduz à santidade.

Só Deus basta

Solteiros ou não, saibamos viver como Santa Teresa D’Ávila, que descobriu que “Deus basta” e mais, que “a paciência tudo alcança”. Estejamos, pois, firmes em Deus, esse “tudo” só se alcança com muita luta, oração e lagrimas, na castidade e pureza, é cruz, mas traz ressureição.

Rezemos juntos com ela

“Nada te perturbe, nada te amedronte.
Tudo passa, a paciência tudo alcança.
A quem tem Deus nada falta.
Só Deus basta!” Santa Teresa de Ávila

 

Vanessa Ozelin
Consagrada da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.