Sou infiel, desobediente, vivo na inconstância e mesmo assim Deus me ama?

0
inconstância

A inconstância com a qual vivemos nosso relacionamento com Deus não faz com que o amor d’Ele por nós diminua. Portanto, para responder à pergunta que dá título a esse artigo, podemos afirmar categoricamente que Deus te ama apesar de toda e qualquer desobediência.

Deus é amor

Poderia terminar este artigo agora mesmo, mas vamos nos aprofundar na questão. Veja que São João afirma que “Deus é amor”. Logo, se Ele é, nada pode fazer com que deixe de ser. Confuso? Traduzindo: Deus, sendo amor, não pode “desdizer-se”, Ele é e pronto! E apesar das nossas falhas em retribuir esse amor, apesar da inconstância do nosso amar, Ele continua sendo amor, ele espera nosso arrependimento para que possamos desfrutar desse amor.

É tão interessante como nós somos imperfeitos, que até no pecar somos inconstantes. Se amamos mais o pecado do que a Deus, porque se preocupar se Ele me ama ou não? Poderíamos simplesmente viver uma vida de devassidão, de pecado e pronto. Mas somos tão imperfeitos que até no pecar somos inconstantes.

Ele não desite, mesmo na nossa inconstância

Por conta do pecado original, todos nós trazemos gravada em nossa alma essa tendência ao mal, à infidelidade, à desobediência, à depravação. E por conta da cruz de Cristo, tudo isso pode ser recapitulado na busca e vivência do que é bom, belo e verdadeiro. Meus caros leitores, Deus nos ama com amor ciumento, Ele nunca vai desistir de nos amar, até o último suspiro de nossa vida Ele é amor! E a pergunta que fica é a seguinte: o quanto você está disposto a resistir ao pecado e viver no amor, na graça de Cristo?

É preciso nos questionarmos sobre isso muito sinceramente, porque apesar de Deus nos acolher na nossa imperfeição, incoerência e inconstância, não sabemos o dia nem a hora que nossa vida chegará ao fim. E se não der tempo de nos arrependermos? De nada vai valer o derramar de amor do Senhor se não quisermos tomar posse desse amor e viver em estado de graça.

Chamo atenção para isso, para não cairmos na armadilha de vivermos uma religiosidade de palco, apenas na afetação emocional de palavras e frases bonitas e motivacionais. Deus nos acolhe independente de qualquer coisa. No entanto, é preciso viver uma relação de fato, onde me mantenho vigilante, orante, amante para não ceder ao nosso amor pelo pecado. Não adianta bradar aos céus “Como te amo Senhor”, se na nossa vida não existe luta por esse amor, se não existe relação. Não podemos ser daqueles que pecam e dizem “tudo bem, eu confesso depois”. Se você é católico e age assim, sinto lhe dizer, você corre um grande risco de ouvir “Nem todo aquele que diz: SenhorSenhorEntrará no Reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu pai, que está nos céus.” Mt 7, 21

Imagine uma pessoa que todo dia pela manhã bate no rosto da mãe, vai lá pede desculpas, se arrepende, a mãe perdoa. Mas, no dia seguinte vai lá novamente e bate no rosto da mãe, mas dessa vez essa pessoa teve um infarto e morreu antes de pedir desculpa para sua mãe. A mãe não deixou de amar o filho, mas quem morreu longe do amor? Pois é, você quer ser essa pessoa? Eu não quero, espero que você também não.

O amor é uma via de mão dupla

O mesmo Deus que é amor é aquele que diz “Convertei-vos e crede no evangelho”, ou ainda “Tome a tua cruz de cada dia e Me siga”. Não caia em falácias por aí, de pessoas que simplesmente pregam o amor de mão única, só da parte de Deus. O amor é uma via de mão dupla, Deus nos ama e nós correspondemos esse amor com uma vida de luta contra todo pecado, contra todo conformismo com nossas inconstâncias.

Por fim termino com essas palavras de Jesus: “o Reino dos céus é arrebatado à força e são os violentos que o conquistam.” Mt 11, 12. O reino dos céus, o amor de Deus, sempre estarão à nossa espera. Descanse seu coração na verdade de que Deus te ama, mas mantenha a guarda contra tudo que te impede de viver esse amor em plenitude! Resista a inconstância.

Que a Virgem Santíssima nos acompanhe nesse caminho de violência contra nossas inconstâncias, para vivermos em plenitude a graça do Amor do Pai!

Deus abençoe

 

Fernanda Guardia
Consagrada da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.