Home Artigos Pantokrator Como combater a preguiça?

Como combater a preguiça?

-

Que a preguiça é um pecado capital nós já sabemos há tempos! Mas como lutarmos contra ela, ainda não sabemos ao certo. Socialmente as pessoas estão cada vez mais se assumindo preguiçosas ou, em outra palavra utilizada para amenizar a culpa, procrastinar: pessoa que deixa tudo para depois, o famoso empurrar com a barriga. Em um mundo onde tudo é fácil e a um clique de distância, não precisamos mais nos esforçar para nada. A cada geração que passa, nota-se a preguiça até mesmo de se relacionar com o próximo. É preguiço o estudante que negligencia suas atividades, a dona de casa que não cuida do seu lar e o trabalhador que não zela pelo seu serviço.

Como podemos combater esse pecado?

Devemos exercitar a virtude da diligência, fazer tudo com zelo e atenção, jamais fazer algo de qualquer jeito ou com pressa para acabar logo. Assim que o pecado entra no mundo, o Senhor nos coloca que nosso alimento se daria através do suor do nosso trabalho, por isso muitas vezes, vemos o trabalho como um castigo, algo que queremos nos livrar logo. O Catecismo da Igreja Católica nos diz: “O trabalho não é uma penalidade, mas sim a colaboração do homem e da mulher com Deus no aperfeiçoamento da criação visível.” – (parágrafo 378). Ser diligente é estar, é ser presença, fazer tudo como se fosse para o nosso Senhor, até o mais simples dos gestos. Jesus nos ensina isso em Seus trinta anos vivido sendo carpinteiro com sua família no comum e no ordinário em Nazaré, a ponto de não O reconhecerem como o Messias.
Tudo passa pela nossa cabeça e nos leva para longe do que é o concreto de nossas vidas, aquilo que temos para entregar como uma oferta de agradável odor a Deus, seja estudando para uma prova, fazendo o jantar para sua família ou governando uma nação, se feito com amor, salvará nossa alma do pecado da preguiça que sempre nos coloca como centro das nossas atenções e nos faz paralisar em nós mesmos. Acho que todos já passamos por uma situação que sabíamos o que era o certo, entretanto, não queríamos fazer por pura preguiça e percebemos como podemos ser fracos quando se trata das nossas vontades; podemos trair Jesus por nossa cama, nosso celular, a televisão, conversas fúteis, enfim, no simples ato de não cumprirmos com nossos deveres.

Um verdadeiro Cristão entende o que São Paulo nos fala em 2 Tessalonicenses 3,10: “quem não quiser trabalhar também não tem o direito de comer.”  Ele nos coloca que o trabalho e os dons recebidos é um dever e uma honra ao homem, e quando digo trabalho não me refiro apenas aos realizados nas empresas, mas principalmente os de dentro de casa, onde a família é para nós a primeira vocação, a primeira igreja. Você deve olhar atentamente para o seu lar e perceber se está cumprindo com seu dever de pai, de mãe, esposa, esposo, de donos de uma casa. Temos tido preguiça de cuidarmos até mesmo do que é mais valioso a nós: nossa família!

Juntos, com a graça de Deus e da Sagrada Família, chegaremos até o céu. Não tenhamos medo de nos gastarmos inteiramente aqui nesta terra, pois nossa recompensa e nosso descanso estão na eternidade junto ao Pai.

Tayna Barbosa
Postulante da Comunidade Católica Pantokrator

Tayná Barbosa
Postulante da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.

EDIFICANDO A FÉ NOS CORAÇÕES

Ao tornar-se um Construtor da Fé você participa da Obra de Pantokrator e constrói a fé no coração de milhares de pessoas mensalmente atingidas pela nossa Obra. E ainda colabora na estrutura missionária e na formação dos sacerdotes da Comunidade Pantokrator.

Ao tornar-se um Construtor da Fé você participa da Obra de Pantokrator e constrói a fé no coração de milhares de pessoas mensalmente atingidas pela nossa Obra. E ainda colabora na estrutura missionária e na formação dos sacerdotes da Comunidade Pantokrator.

×