Não sou um derrotado, sou filho de Deus

0
filho

Diante das situações complicadas da vida vejo muitas pessoas que se sentem frustradas, desgostosas, sofridas, parecendo perdidas e às vezes até paralisadas. Parece que não tem força para reagir. Esse tipo de situação já aconteceu com você? Comigo já, mas posso afirmar que diante das provas, podemos estar caídos, porém nunca derrotados. Porque somos filhos muito amados de Deus! Diga agora: Sou um filho muito amado de Deus!

Somos filhos de Deus Pai Todo Poderoso e é com essa certeza de fé que devemos trilhar nosso caminho. Mesmo em meio as dificuldades e tribulações. Temos um Pai que nos ama que é Misericórdia e que é Fiel. Através da fé e do sacramento do batismo, tornamo-nos filhos pelo Filho. Sim, Jesus Cristo que é o filho eterno de Deus e se fez carne por nós. “No seu amor nos predestinou para sermos adotados como filhos seus por Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua livre vontade” (Ef 1,5).

Jesus também foi tentado em sua identidade de filho de Deus. Enquanto estava no deserto, o demônio lança a dúvida no coração de Jesus “se tu és o filho de Deus…”. Essa é identidade mais profunda de Jesus e é a nossa também, nossa dignidade está em ser filho de Deus.

Ao ensinar o “Pai Nosso” aos seus discípulos, Jesus ensina a chamar Deus de Pai. Ao invocá-Lo como Pai nos coloca em relação de confidência com Ele, como uma criança que se dirige ao seu “papaizinho”, bem sabendo ser amado e cuidado por ele.

Já disse Papa Francisco: “Quando precisamos de ajuda, Jesus não nos diz para nos resignarmos e fecharmos em nós mesmos, mas ensina-nos a elevar ao Pai do céu uma súplica confiante. Todas as nossas necessidades, desde as mais evidentes e diárias como a alimentação, a saúde, o trabalho, até à necessidade de sermos perdoados e sustentados contra as tentações, não são uma prova de que estamos abandonados e sozinhos, mas há um Pai Amoroso nos Céus que sempre olha por nós e nunca nos abandona”.

A oração de intimidade é o que nos dá acesso ao Pai,  nos dando força para vencer as tribulações e nossas paralisias. Segundo os santos “ela é a nossa força e a fraqueza de Deus”. Sendo assim, devemos nos apresentar diante do Senhor com o coração sincero e humilde. Clamar a presença do Espírito Santo para que não desanimemos. É através, também, da vida de oração que tomamos consciência das nossas fraquezas e limitações e depois de reconhecê-las, devemos nos abrir às virtudes que nos ajudam a vencer a tristeza e aliviar o sofrimento.

As virtudes teologais fundamentam, animam e caracterizam o agir moral do cristão. Informam e vivificam todas as virtudes morais. São infundidas por Deus na alma dos fiéis para os tornar capazes de proceder como filhos seus e assim merecerem a vida eterna. São o penhor da presença e da ação do Espírito Santo nas faculdades do ser humano. São três as virtudes teologais: fé, esperança e caridade. ” (CIC 1813)

Deus nos alimenta, nos consola e nos fortalece através da virtude da esperança.

A virtude da esperança corresponde ao desejo de felicidade que Deus colocou no coração de todo o homem; assume as esperanças que inspiram as atividades dos homens, purifica-as e ordena-as para o Reino dos céus; protege contra o desânimo; sustenta no abatimento; dilata o coração na expectativa da bem-aventurança eterna. O ânimo que a esperança dá preserva do egoísmo e conduz à felicidade da caridade.” (CIC 1818)

As tribulações da vida não apagam a esperança, ao contrário, fazem com que essa desperte com uma força admirável e nos empurre para frente. A Sagrada Escritura afirma isso quando diz: “Pois sabemos que a tribulação produz a paciência, a paciência prova a fidelidade e a fidelidade, comprovada, produz a esperança. E a esperança não engana.” (Rom 5,3b-5a).

Peçamos a Deus a graça de nunca perdemos a esperança. Diga: Não sou um derrotado, sou filho de Deus! Não tenha medo das batalhas do cotidiano, lute! Nas situações em que paralisamos ou nos desesperamos e pensamos que já não há nada a ser feito, eis que a esperança se ergue dentro de nós e com a força do Espírito Santo diz: Tente outra vez; seja mais humilde; reze, reze mais; não desista, ainda há solução; suporte com paciência. Ela coloca sempre a nossa frente novas possibilidades. E não esqueça, Deus sempre socorre quem confia n’Ele, quem luta vence, quem luta com Deus é invencível!

O Senhor é minha luz e minha salvação, a quem temerei? O Senhor é o protetor de minha vida, de quem terei medo? Espera no Senhor e sê forte! Fortifique-se o teu coração e espera no Senhor! ” (Sl 26)

Mônica Laura dos Anjos Tavares de Andrade
Díscipula da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.

3 × 1 =