Como ser melhor na vida espiritual?

0
vida espiritual

Quando nos decidimos por caminhar com Deus, por buscarmos Sua vontade, é necessário investirmos tempo em nossa vida espiritual, pois é por meio dela que conhecemos mais ao Senhor e permitimos que Ele transforme nossos corações, moldando-os segundo Sua vontade.

A vida espiritual é o alimento de nossa relação com Deus, é o que nos faz crescer no amor que temos por Ele, pois, quanto mais conhecemos a Deus, mais nos apaixonamos por quem Ele é, mais nos tornamos capazes de O amar, porque Ele mesmo é amor (cf. I João 4, 8).

Quando falamos de vida espiritual, naturalmente pensamos em vida de oração. Contudo, é importante termos consciência de que a vida de oração é uma parte, muito importante, por sinal, da vida espiritual. Sobre esta importância, nos ensina Santo Afonso de Ligório: “Da oração depende a nossa mudança de vida, o vencer das tentações; dela depende conseguirmos o amor de Deus, a perfeição, a perseverança e a salvação eterna”.

A vida espiritual, de maneira mais ampla, compreende a constante busca de oração pessoal e comunitária, leitura e meditação da Palavra de Deus, conhecimento da doutrina católica e vivência dos sacramentos. Se nos empenharmos nestes aspectos, com certeza avançaremos em direção à nossa meta e nos tornaremos mais íntimos de Deus.

A prática da vida espiritual

 A respeito da oração pessoal, o próprio Jesus nos ensinou todas as vezes que se retirou para estar a sós com o Pai, como podemos ler em Marcos 1, 35, por exemplo, e em tantas outras citações dos Evangelhos. Tudo o que acontecia com o Senhor, as decisões importantes que deveriam ser tomadas por Ele eram apresentadas ao Pai em oração.

A oração pessoal é aquela que vivemos no escondimento de nossos quartos, a sós com Deus: “Quando orares, entra no teu quarto, fecha a porta e ora ao teu Pai em segredo; e teu Pai, que vê num lugar oculto, recompensar-te-á” (Mateus 6, 6).

A oração comunitária, tão importante quanto a pessoal, é a que vivenciamos com os irmãos, em grupos, encontros ou reuniões de oração. Os primeiros cristãos “perseveravam na doutrina dos apóstolos, na reunião em comum, na fração do pão e nas orações” (Atos 2, 42), pois tinham profunda consciência de que estarem reunidos com os irmãos é algo essencial para o crescimento na vida espiritual, pois “onde dois ou três estão reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles” (Mateus 18, 20).

Compreendemos, ao olharmos para a Igreja primitiva, que não é possível ser cristão sozinho ou cultivar a fé sem a convivência comunitária. Precisamos uns dos outros porque assim foi desejado por Deus que é Trindade, comunhão.

Sobre os demais aspectos que compõem a vida espiritual, a saber: leitura e meditação da Palavra de Deus, conhecimento da doutrina católica e vivência dos sacramentos, gostaria de indicar conteúdos sólidos que, com certeza, nos inserem na busca tão necessária que temos por Deus.

Se desejamos nos tornar parecidos com o Senhor, tanto quanto nos seja possível, precisamos conhecê-lo, e a melhor forma de chegarmos a esse conhecimento é pela leitura e meditação da Palavra de Deus.

Existem na Igreja diversas formas pelas quais podemos ler e meditar a Palavra. A mais comum, praticada desde os primeiros séculos do cristianismo, é a Lectio Divina, que “em linhas gerais, consiste em ler atentamente a Palavra de Deus, passando em seguida à sua meditação, contemplação e ao diálogo com o seu Autor. A Lectio nos ensina a ter nossa vida centrada em Deus” (Luciane Bidóia, consagrada da Comunidade Católica Pantokrator).

Para conhecer mais sobre este método, acesse o curso “Leitura Orante da Palavra – Os Passos da Lectio Divina”.

Como lemos em Atos 2, 42, os primeiros cristãos “perseveravam na doutrina dos apóstolos”, pois são os próprios apóstolos que nos confirmam na e nos transmitem os ensinamentos que receberam de Cristo, nosso Senhor. Se hoje podemos ter vida espiritual, é porque a Igreja, através de seus bispos e padres, particularmente, manteve vivos todos os bons costumes da fé ensinados por Jesus.

Por pertencermos à Igreja que é, em sua essência, Apostólica, bem como Católica e Romana, é-nos fundamental o aprofundamento na doutrina dos apóstolos do Senhor, pois somente assim chegaremos à fonte que é o próprio Cristo.

Acesse: “Doutrina Católica: 5 motivos para você aprofundar seus conhecimentos

Por fim, mas tão importante quanto os aspectos anteriores, para termos uma autêntica vida espiritual, é de extrema importância uma constante vivência sacramental.

“Os sacramentos da nova Lei foram instituídos por Cristo e são em número de sete, a saber: o Batismo, a Confirmação, a Eucaristia, a Penitência, a Unção dos Enfermos, a Ordem e o Matrimônio. Os sete sacramentos tocam todas as etapas e momentos importantes da vida do cristão: outorgam nascimento e crescimento, cura e missão à vida de fé dos cristãos. Há aqui uma certa semelhança entre as etapas da vida natural e as da vida espiritual” (Catecismo da Igreja Católica §1210).

Como nos ensina a Santa Mãe Igreja, os sacramentos tocam as etapas de nossas vidas, nos acompanham no decorrer de toda a nossa existência. Contudo, dentre os sete sacramentos, dois podem ser buscados por nós com maior frequência: a Eucaristia, que pode ser recebida diariamente na Santa Missa, e a Penitência ou Sacramento da Confissão, que deve ser buscado sempre que pecamos e, arrependidos, vamos ao encontro de Deus que, sempre cheio de misericórdia, nos dá Seu perdão.

Sustento para a vida espiritual

A Eucaristia, de forma especial, é o alimento que nos sustenta em nossa vida espiritual. Ao recebermos o Corpo Santo de Jesus, recebemos toda força que necessitamos para nossas lutas próprias e nos tornamos mais íntimos do Senhor, pois Ele, que já habita em nós pelo Espírito Santo desde o Batismo, passa a habitar, também, de forma sacramental.

Se você deseja conhecer mais sobre os sacramentos para melhor desfrutar das graças particulares que cada um deles nos confere, acesse o curso “Conhecendo os Sete Sacramentos da Igreja Católica”.

Que o Senhor Jesus, tão ávido de nossas almas e de nossos corações rendidos a Ele, nos ajude em nosso crescimento espiritual.

Edvandro Pinto
Discípulo da Comunidade Católica Pantokrator

 

 

 

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.