Por que Deus permite o sofrimento?

2
sofrimento

Muitas vezes nos questionamos o porquê de certas situações ocorrerem em nossas vidas. Por que sofrer se Deus está comigo? Se Deus é o Todo Poderoso, por que Ele não tira das nossas vidas o sofrimento? Qual é o sentido do sofrer?

Bem meus irmãos, na verdade, Deus permite alguns sofrimentos na nossa história porque através deles podemos crescer, amadurecer e mudar o rumo de tudo!

Como nós nascemos para ser feliz, característica própria de todos os filhos de Deus, buscamos com todas as nossas forças vencer na vida pessoal, profissional e emocional. Achamos, muitas vezes, que como corremos atrás da vitória em tudo que fazemos, que ela deveria chegar até nós de maneira lógica, quase que matemática. Mas não, essa não é a lógica de Deus.

Deus não quer o sofrimento, nos quer felizes

É claro que Deus deseja que sejamos felizes. Fomos criados para isso, e essa foi a Sua obra perfeita. Mas a nossa felicidade está vinculada a fazer Sua vontade, estar em unidade com Ele e seguir seus mandamentos. Quando estamos fora desse contexto, não conseguimos alcançar a felicidade plena. Poderemos até ter pequenas felicidades, mas passageiras, superficiais. Mas a felicidade plena da alma e do coração, só em Jesus Cristo!

“Se escutam e obedecem, terminam seus dias na felicidade, e seus anos na delícia” Jó 36,11

“Quem ouve a palavra com atenção encontra a felicidade; ditoso quem confia no Senhor.” Provérbios 16,20

Mas, quem consegue seguir essas orientações? Quem? Somente aquele que se submete à Palavra de Deus e se esforça para segui-La! Quando buscamos a verdade e deixamos que ela invada o nosso coração e nos transforme, tudo se torna possível!

“Ah! Se tivesses sido atento às minhas ordens! Teu bem-estar assemelhar-se-ia a um rio, e tua felicidade às ondas do mar.” Isaías 48,18

O sofrimento traz um novo sentido à vida, porque ele nos faz sair de nós mesmos e buscar a total dependência de Deus. Quando tudo está bem, dando tudo certo, sem nenhum problema, e sem qualquer dificuldade, temos a tendência de nos achar independentes e poderosos. Assim: “Olhem para mim, minha vida, tudo vai bem, vejam como eu sou bom!”.

Digo isso por experiência própria. Já passei por isso. Achava que sabia o que deveria ser feito, que eu era dona do meu nariz, e que por isso tinha total liberdade de escolher o que quisesse. Achava estar fazendo a Sua vontade, mas decidia primeiro e esperava, para depois ser abençoada por Ele. Essa é a natureza humana, somos fracos e nos achamos invencíveis muitas vezes. Grande engano!

Dependência total de Deus

Quando nos prostramos aos pés de Deus e nos abandonamos em Suas mãos e decisões, nos colocamos dependentes e assim poderemos ser vitoriosos.

A vitória não representa somente vencer as coisas do mundo, como ter uma destacada carreira profissional, uma bela casa, um carro potente. A vitória também está no aprendizado com os sofrimentos que a vida se nos oferece, e fazer das feridas espaçosos degraus para subirmos em direção ao céu, nossa grande tão desejada vitória!

O que é ser dependente? Nos dicionários encontramos algumas definições:

“Diz-se do que ou de quem depende; sujeito, submetido ou subordinado; diz-se de quem não consegue viver sem determinada pessoa ou sem certa coisa; diz-se de quem tem necessidade total de”.

É essa a visão que temos que ter da dependência de Deus! Devemos estar sujeitos, submetidos, subordinados, apesar do sofrimento que possa bater à nossa porta.

Devemos ter esse sentimento de não conseguir viver sem Deus. Ter total necessidade de estar junto, estar com o coração voltado Nele e para Ele. Somente assim saberemos ver o outro lado do sofrimento. Teremos a capacidade de dar saltos de fé e caminhar na verdade, sabendo que Deus tira um bem de todo o mal.

Basta vermos qual foi o exemplo deixado por Cristo! Ele se deu numa cruz por cada um de nós! Foi castigado, cuspido, chicoteado e carregou uma cruz até ser crucificado nela. E por quê? Para quê? Para dar sentido à sua vida! Para te salvar dos seus pecados e te dar livre e gratuitamente a força de um amor incomparável e insubstituível!

A Igreja e os Santos nos ensinam

O Catecismo da Igreja Católica declara: “Por sua paixão e morte na cruz, Cristo deu um novo significado ao sofrimento: pode a partir de então, nos configurar para ele e nos unir com sua paixão redentora” (1505).

A vida dos santos nos mostra o quanto é possível sofrer por amor a Cristo, e o tanto que Deus realiza através desse sofrimento. Nada é em vão. Cada momento de dor deve ser transformado numa entrega de profundo amor e !

Segundo São Josemaria Escrivá: “Aqueles que oram e sofrem, deixando a ação pelos outros, não brilharão aqui na terra; mas que coroa radiante eles usarão no reino da vida! Bendito seja o ‘apostolado do sofrimento’!”

Santo Afonso de Ligório dizia: “É preciso sofrer, todos têm de sofrer; seja justo ou pecador, cada um deve carregar sua cruz. Quem a carrega com paciência, salva-se; quem a carrega com impaciência, perde-se”.

Sofrimento fonte de salvação

Então eu pergunto: Como você quer passar por esta vida? Carregando a sua cruz com paciência ou impaciência? Você tem tido paciência ao carregar a sua cruz? O seu sofrimento tem sido via de salvação ou de perdição para você?

“…Que em Mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, Eu venci o mundo!” (Jo 16,33)

O que isso significa? Que estar em Jesus nos leva a superar todas as aflições do mundo. Nós não estamos sós! Ele está conosco!

Então o nosso sofrimento tem que ser nossa fonte de salvação e santificação! Peçamos a Deus que venha nos auxiliar nessa vivência profunda com o sofrimento e a santificação, que pode vir através d’Ele.

Deus o abençoe e faça de você um servo cada vez mais fiel, mais paciente no sofrimento e mais sábio nas suas escolhas! Amém

 

Leila Engels
Consagrada da Comunidade Católica Pantokrator

2 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.